20 outubro 2009

27ªCAMINHADA PELO INTERIOR

Aos poucos o Largo do Rossio foi povoado pelos caminheiros que entretanto iam chegando. Enquanto não chegava a hora do início da jornada, as pessoas aproveitaram para rever amigos, falar com quem estava ao lado, outros aproveitaram para encher as garrafas com água da fonte da Torrinha e a verdade é que quanto mais se aproximava o momento da partida, aumentava o número de pessoas de mochila às costas, com chapéus e bonés nas cabeças, alguns traziam um bordão, outros bengalas e até houve quem trouxesse o seu cão. Todos estavam reunidos e prontos para a largada. O presidente da Junta de Freguesia, Victor Fernandes, subiu à varanda do Ti Quim Ruvino, deu as boas vindas e deu o sinal de partida.





























   Caminhar, caminhar, caminhar tão apressados que às 10:30 já nos encontrávamos no Espigal. Uma breve paragem para o pequeno almoço e muitos caminhantes deram corda às botas de tal maneira que quando o grupo de pessoas que me acompanhava  chegou à Machoca, já os outros iam lançados na descida para a aldeia de Malcata. E eu que pensava parar 10 minutos neste local para admirar e observar a floresta, a barragem, as povoações vizinhas e talvez alguma águia ou coelho vadio e depois de 3 ou 4 fotografias dou comigo só e a ver lá ao fundo do caminho os outros a caminhar. Para quê tanta pressa em fazer a caminhada? Fiquei com a ideia de que muitos entendem a caminhada da mesma forma que os atletas participam numa maratona. Ou seja, o importante é chegar primeiro e em menos tempo possível. Ora bolas, eu a esses digo-lhes que assim não é caminhar mas sim correr. E depois, sabem o que aconteceu com as passadas largas? Chegaram cedo à Sede da Associação Cultural de Desportiva de Malcata, tiveram que aguardar quase meia hora pelas batatas a murro e bacalhau, pelas entremeadas e fêveras. Tudo porque os elementos da Associação estavam a preparar a refeição para as 13:30, que felizmente conseguiram começar a distribuir mais cedo. E como podem ver pelas fotografias, houve comer e de beber para todos.
Para a próxima caminhada sugeria que a organização, logo no sinal de partida, informasse os participantes do percurso e das paragens ao longo da caminhada. E que tal aproveitar a natureza e o gosto pela fotografia que muitos dos participantes possuem e promover um concurso sobre a própria caminhada? Pelo menos não ficaria tão cansado como estou...aguentei esta caminhada mas ainda hoje sinto a dor nas pernas.
Nota: Apesar da correria de alguns, adorei participar. Os apoios da organização foram importantes e funcionaram. É uma actividade para continuar e aperfeiçoar.
Vou preparar mais fotografias e logo que possível aqui as colocarei.
Viva Malcata!

Sem comentários: