21 março 2017

MALCATA CONCORRE ÀS 7 MARAVILHAS DE PORTUGAL NAS CATEGORIAS "ALDEIAS RIBEIRINHAS" E "ALDEIAS EM ÁREAS PROTEGIDAS"





 
O concurso 7 Maravilhas de Portugal, que em 2017 tem as aldeias como tema, apurou 332 candidaturas de aldeias das sete regiões do país, num total de 446 candidaturas apresentadas.

Esta lista vai ser agora votada pelo painel de especialistas do concurso 7 Maravilhas e as 49 aldeias pré-finalistas serão reveladas a 7 de abril, na Aldeia da Pena, em São Pedro do Sul.

O concurso integra diversas categorias, como 'Aldeias Rurais' (com 99 aldeias candidatas), 'Aldeias Autênticas' (79 aldeias), 'Aldeias-Monumento' (78 aldeias), 'Aldeias Ribeirinhas' (60 aldeias), 'Aldeias em Áreas Protegidas' (63 aldeias), 'Aldeias Remotas' (44 aldeias) e 'Aldeias de Mar' (23 aldeias).

A Junta de Freguesia de Malcata realizou uma candidatura às “7 Maravilhas de Portugal Aldeias”, nas categorias de “Aldeias Ribeirinhas” e “Aldeias em Áreas Protegidas”. Com esta iniciativa, a Freguesia de Malcata pretende divulgar o seu território que apresenta características únicas inseridas num património singular.

A votação é feita apenas por chamada telefónica, de segunda a domingo a partir de 3 de julho. Todos os domingos, durante 7 semanas, a RTP vai transmitir uma Gala dedicada a cada uma das 7 categorias.
A primeira Gala tem lugar a 9 de julho.
Cada categoria está a votação apenas uma semana, entre 3 de julho e 20 de agosto, apurando todos os domingos duas finalistas de cada categoria.
A lista final de 14 finalistas fica assim fechada na última Gala, a 20 de agosto. Seguem-se duas semanas de votação nas 14 finalistas.
A Declaração Oficial das 7 Maravilhas de Portugal® – Aldeias tem lugar a 3 de setembro.
VOTEM "MALCATA"!
#7MaravilhasdePortugal
#7_Maravilhas_de_Portugal
#7MaravilhasdePortugalAldeias
#7_Maravilhas_de_Portugal_Aldeias



19 março 2017

MALCATA-ALDEIA AUTOSSUSTENTÁVEL

  O Jornal Cinco Quinas entrevistou  o senhor
José Alves Escada da Costa, na  qualidade de Presidente da Direcção da A.M.C.F.
( Associação Malcata Com Futuro ),com sede na Praça do Rossio, nº13, na nossa aldeia de Malcata.  O Jornal Cinco Quinas achou por bem dar a conhecer a todos leitores com assinatura digital e na edição mensal em papel, esta maneira diferente de olhar para o Concelho do Sabugal, território vastíssimo, uma região com riquezas naturais únicas, onde o lince ibérico,apesar da sua ausência, ainda é o maior elo da ligação do mundo à Reserva Natural da Serra da Malcata e onde crescem importantes manchas florestais  que muito ainda tem por explorar.
  
E José Alves Escada da Costa aproveita para fazer o balanço dos  19 meses de existência da A.M.C.F., uma associação gerada na sociedade civil, com pessoas inconformadas e pró-activas, dispostas a trabalhar em parceria com todas as instituições públicas, como seja a Câmara Municipal, as Juntas de Freguesia e outras entidades.
   O presidente da AMCF começou por referir as dificuldades que têm tido em fazer passar a mensagem da necessidade do desenvolvimento, pelo menos em algumas franjas da população. Mas espera e acredita que com o projecto
"Malcata - Aldeia Autossustentável" vai ser possível inverter a situação e colocar a aldeia de Malcata como um bom exemplo do desenvolvimento sustentável.

Legenda:
CQ ( Jornal Cinco Quinas )
JEC (José Escada da Costa )

CQ - O que é a Associação Malcata Com Futuro (AMCF) ?

(JEC) A AMCF foi constituída em julho de 2015.
Trata-se de uma Associação sem fins lucrativos para a Economia Cívica. Pretendemos apelar ao empreendedorismo e à inovação na exploração dos recursos. Pretendemos identificar potencialidades e oportunidades para gerar economia, nomeadamente, as ligadas à marca “Lince da Malcata”, aos Parques Eólicos, à Barragem do Sabugal, à Reserva Natural da Serra da Malcata, à Serra, propriamente dita, ao turismo sustentável. Queremos contribuir também para que surjam empreendimentos – âncora que tragam emprego e arrastem outros investimentos.
CQA AMCF nasceu apenas da necessidade de dar voz à chamada sociedade civil, ou teve por base outros pressupostos?
JEC
O surgimento da AMCF teve causas próximas e outras mais distantes. As mais distantes estão relacionadas com a forma como foi construída a barragem do Sabugal, com a não concretização de um apelidado “projeto Ofélia”, com a implantação de um parque eólico, com 19 turbinas, às portas da aldeia. Um conjunto de cidadãos de Malcata considerou que, em todo esse passado, ouve omissão, ausência de informação, de envolvimento da população, em suma, reduzida liderança por partes dos eleitos. Um rio lindíssimo foi substituído por uma barragem, construída sem estudos de impacto ambiental e sem medidas de minimização e de compensação. Um paredão planeado, prometido e não construído. As inúmeras expectativas criadas em relação ao dito “empreendimento Ofélia” saíram completamente goradas. Um parque eólico que ia crescendo e impactando sem que ninguém questionasse.
A gota de água foi a ampliação do parque eólico de 19 para 25 turbinas. Aí, o tal grupo de cidadãos disse basta e passou à ação, através do Movimento Malcata Pró – futuro. Esse Movimento aproveitou a consulta pública obrigatória e desenvolveu um processo reivindicativo, mediático e dialeticamente muito bem suportado. Processo esse que culminou com a criação da AMCF. Uma Associação com objetivos inovadores. Uma Associação que privilegia interesses de médio e longo prazo, na linha da sustentabilidade (económica, social e ambiental). Uma iniciativa de cidadãos livres e independentes.


                                                                                                               







CQ – Quase dois anos depois de ter sido criada, AMCF está a cumprir a sua missão?
JEC
Ao trabalharmos sobretudo no domínio do imaterial, iniciámos um projeto ambicioso,  com reduzidas possibilidades de ser, de imediato, plenamente entendido pela grande maioria da população.
Nestes dois anos a AMCF desenvolveu um vasto conjunto de iniciativas conforme se pode verificar no Relatório de Atividades publicado no nosso site. Em 2015 a atividade mais importante foi a Audição Publica em que nos apresentámos à população, dissemos ao que vínhamos e o que pretendíamos. Foi uma iniciativa inovadora e muito participada. Em 2016 a atividade mais importante relacionou-se assim com a floresta. Malcata tem quase tudo. Tem uma ampla mancha florestal. Tem baldios florestados. Tem uma ZIF (Zona de Intervenção Florestal). Tem uma equipa de Sapadores. Tem um grande consumidor de energia, o Lar. O que lhe falta então? Falta colocar todos esses …

(CONTINUA)
  Podem ler a entrevista clicando neste link:



Algumas informações importantes sobre o presidente da AMCF:




                                                              
   

01 março 2017

EXPOSIÇÃO DE PINTURA EM MALCATA


    Abriu no passado dia 26 de Fevereiro de 2017, uma exposição de pintura, na sede da Associação Malcata Com Futuro, na Praça do Rossio, nº13, em Malcata.
  

19 fevereiro 2017

O ENFADO NÃO ACONTECE POR ACASO



O falatório mais ouvido destes últimos nas ruas e cafés é sobre a antena de telemóveis.
  
O problema começa em Novembro, em que a Junta não teve o discernimento de comunicar antecipadamente à população do que iria acontecer “, diz um cidadão, enquanto com a colher de café na mão direita mexe o açúcar que acabou de despejar para dentro da chávena.
   Pois, isto de fazer e depois informar trouxe desconforto e perguntas que podiam ser evitadas. É que todos acabamos por participar nessa excitação e o ruído aumenta de intensidade porque, como em qualquer povo das nossas aldeias, as notícias sejam boas ou más, depressa são conhecidas.
   É verdade que o assunto das antenas já não é de agora, ou seja, não foi neste início de Fevereiro que os acordos foram conhecidos pela junta de freguesia. Também é verdade que não se trata de um pedido da junta para que a NOS instale a antena em Malcata e nem tão pouco da Câmara Municipal do Sabugal. Duvidam? Então informem-se na Anacom e perguntem se Malcata e outras freguesias do nosso concelho estão ou não na lista de freguesias que fazem parte do lote de freguesias tendencialmente sem cobertura de banda móvel, cujo relatório final foi aprovado pela Anacom.

   Fui acompanhando o desenrolar do assunto e na impossibilidade de estar na reunião que a junta convocou para esclarecer as pessoas, usando as redes sociais enviei a 50 pessoas esta pergunta:
   “Como Malcatenho(a) concorda ou não com a instalação da antena de telemóveis no jardim da junta de freguesia, ao lado do parque infantil?”
  
A mesma pergunta foi enviada a todas as pessoas, todas com relações familiares ou com gente amiga em Malcata. Foi um exercício não científico, sem grupo de idade ou sexo. Jovens, rapazes e raparigas, homens e mulheres, a quem lancei o desafio, muito agradeço a quem respondeu. Aqueles que não responderam foram em grande número, o que não me espantou.  Durante cinco dias aguardei resposta e eis os resultados obtidos:
Responderam: SIM……… 04
                      NÃO……. 23
   Não responderam:----- 19
   Indecisos:----------------04
   Surpreendidos com estes números? Eu não!
   Assunto encerrado? Eu digo que ainda não está encerrado. Vamos esperar respostas da NOS e da ANACOM.
   Última nota: autarca eu ? Resposta: Não! Mas ninguém corta a raiz ao meu pensamento e
à AMCF.
   Somos Malcata!