25 junho 2008

GENTE DO SABUGAL COM TALENTO


Foto publicada no jornal A Guarda

MANUEL MORGADO



Manuel Morgado é um dos criativos da WHO, que é nada mais nada menos do que uma das principais empresas ( agência ) de Talentos Criativos em Portugal.
Diariamente podemos ver trabalhos dos artistas que a WHO representa em jornais, revistas, campanhas de publicidade, eventos de Moda e Design, etc, etc. .

E Manuel Morgado é um desses talentos
criativos da WHO. Este criador possui o 4ºAno de Design de Comunicação e é actualmente profissional de design gráfico complementarmente à carreira de ilustrador.
Alguns trabalhos de Manuel Morgado
(Clique na foto para ampliar)

Desde 1988 que realiza exposições de pintura e ao nivel da ilustração conta também com participações em livros, jornais e edições de vários albuns de banda desenhada.
Ilustra regularmente artigos em diversas publicações como o semanário Expresso, Revista Visão, Diário Económico, Jornal de Notícias, entre outros.
Manuel Morgado é natural do Sabugal, mas apesar da ligação que tem com a raia, cedo teve que ir para Coimbra estudar e actualmente faz a sua vida profissional em Vila do Conde, onde possui uma empresa de design. Para já vai continuar pelo norte do país.
Este talentoso criador é autor dos desenhos do livro "Sabugal-Peripécias Históricas da Gente do Alto Côa", editado pela Câmara Municipal do Sabugal. O livro "Talismã" em colaboração com a Devir edições e o escritor Felipe Faria também já foi editado. No Museu do Sabugal podemos ver trabalhos com a sua assinatura. Para este sabugalense talentoso do Sabugal quando lhe pediram numa entrevista para, em seu entender, o que é que falta ao Sabugal para se tornar um concelho de referência, em termos de turismo, Manuel Morgado respondeu "vou falar na área que me sinto um pouco mais à vontade, pois não quero tornar-me em mais um que diz que está tudo mal e que assim não vai nada para a frente, mas ideias para melhorar as coisas nunca as dão.Penso que há pessoas que representam o povo que foram eleitas e vivem diariamente com os problemas do concelho mais creditadas para responder a estes assuntos mas, na minha modesta opinião, talvez falte a divulgação, informação, campanhas ou anúncios dos mais variados feitos com pés e cabeça e não feitos por alguém que se lembrou um dia, e no outro dia já não lhe liga nenhuma. Alguns velhos do Restelo podem dizer que produtos desses são caros e que não valem a pena, mas isso é completamente errado, ou porque são teimosos ou porque simplesmente não fazem a mínima ideia do que é a comunicação, no entanto a meu ver isso começa a mudar pois, noto cada vez mais, por parte dos responsáveis camarários finalmente há já algum tempo, vontade de fazer as coisas e nota-se a receptividade para enfrentar novos projectos que lhes apresentem, que sejam viáveis e que promovam um concelho de futuro, nunca esquecendo as suas raízes, claro".
( entrevista dada ao Jornal A Guarda em 27/07/2007).
O Sabugal é rico, muito rico mesmo. A riqueza do concelho está na qualidade das mentes que aqui nasceram, cresceram mais ou menos tempo e alguns cá continuam e outros por lá andam. Mas todos nós sabemos e eu sei que os outros sabem que o nosso concelho é rico. Talvez necessitemos de nos descobrir melhor e se nos deixarmos levar pela brisa da serra e os aromas silvestres, tendo o silêncio, a calma e a paz como acompanhantes, um dia o Sabugal transformar-se-á num espaço desejado por muitos.

24 junho 2008

QUEM NOS QUER ENGANAR?


Cuidado com as facturas da água!
A Câmara do Sabugal está a desrrespeitar as leis da República, em especial a Lei 12/2008 que a partir de 26 de Maio decretou ser proibido receber dinheiro pelos contadores de água. A nossa Câmara na sua Reunião de Câmara decidiu dar a volta à Lei e vai substituir a cobrança dos contadores pela "taxa de disponibilidade". É uma manobra ilegítima, ilegal para continuar a cobrar o aluguer do contador, mas com outro nome...esses senhores deviam ler a carta que me enviaram por mail e que publiquei neste blog. Há que denunciar esta manobra dos "engenheiros" que tanto se dizem defensores do povo e que estão ao serviço do bem estar dos cidadãos. A "taxa de disponibilidade" tem que ser corrigida. Brincamos com a Lei? O diploma que entrou em vigor a 26 de Maio proibe a cobrança de taxas associadas a contadores para os serviços públicos essenciais, bem como de qualquer outra taxa de efeito equivalente. Afinal os responsáveis da autarquia que interesses defendem? A disponibilidade não está já incluída no próprio serviço, já que quando as pessoas fazem os contratos da água, luz ou gáz, a empresa que vai fornecer esses serviços, fica ou não obrigada a disponibilizá-los 24 horas por dia? Ou só o disponibiliza quando o consumidor pagar ainda mais? Senhores da Câmara do Sabugal desmarquem-se da manada e pensem por cada um de vós, procurem o melhor para o cidadão sempre que tenham o poder que ele lhes disponibilizou sem receber qualquer taxa por tal cedência .
A Reunião da Câmara ficou escrita em Acta da qual transcrevo isto:

C ÂMA R A MU N I C I P A L D O S A B U G A L

ACTA N. º 11/2008

REUNIÃO ORDINÁRIA DO DIA 16 DE MAIO DE 2008

PRESIDENTE:

Manuel Rito Alves

VEREADORES:

José Santo Freire

Manuel Fonseca Corte

Luís Manuel Nunes Sanches

António dos Santos Robalo

Rui Manuel Monteiro Nunes

FALTARAM POR MOTIVO JUSTIFICADO:

Ernesto Cunha

HORA DE ABERTURA:

Dez Horas e Trinta Minutos

LOCAL: Salão Nobre do Edifício dos Paços do Concelho

GABINETE JURÍDICO

_ Informação do responsável do Gabinete sobre as consequências da entrada em vigor a partir de 26 de Maio de 2008 da Lei n.º 12/2008 de 16 de Fevereiro, relativamente à cobrança do aluguer de contador que por força desta lei passará a ser proibido, contudo poderá o Município cobrar uma tarifa de disponibilidade, em virtude de existirem redes e equipamentos públicos disponíveis,

impondo ainda a nova lei que a facturação passe a ser mensal. Analisado, o assunto

foi deliberado, por unanimidade, aprovar a cobrança de uma tarifa de disponibilidade no mesmo valor do que se pagava pelo aluguer de contador, passando a facturação a ser mensal.--------------------------

ABAIXO AS TAXAS DE DISPONIBILIDADE. SÃO ILEGAIS! SÃO CONTRA OS CIDADÃOS!

AS TAXAS ESCONDIDAS

É o país em que vivemos (são todos iguais).

(Esta carta foi direccionada ao banco BES, porém devido à criatividade com que foi redigida,

deveria ser direccionada a todas as instituições financeiras.)

Exmos. Senhores Administradores do BES

Gostaria de saber se os senhores aceitariam pagar uma taxa, uma pequena taxa mensal, pela existência da padaria na esquina da v/. Rua, ou pela existência do posto de gasolina ou da farmácia ou da tabacaria, ou de qualquer outro desses serviços indispensáveis ao nosso dia-a-dia.

Funcionaria desta forma: todos os senhores e todos os usuários pagariam uma pequena taxa para a manutenção dos serviços (padaria, farmácia, mecânico, tabacaria, frutaria, etc.). Uma taxa que não garantiria nenhum direito extraordinário ao utilizador. Serviria apenas para enriquecer os proprietários sob a alegação de que serviria para manter um serviço de alta qualidade ou para amortizar investimentos. Por qualquer outro produto adquirido (um pão, um remédio, uns litro de combustível, etc.) o usuário pagaria os preços de mercado ou, dependendo do produto, até ligeiramente acima do preço de mercado.

Que tal?

Pois, ontem saí do BES com a certeza que os senhores concordariam com tais taxas. Por uma questão de equidade e honestidade. A minha certeza deriva de um raciocínio simples.

Vamos imaginar a seguinte situação: eu vou à padaria para comprar um pão. O padeiro atende-me muito gentilmente, vende o pão e cobra o serviço de embrulhar ou ensacar o pão, assim como todo e qualquer outro serviço. Além disso impõe-se taxas de. Uma "taxa de acesso ao pão", outra "taxa por guardar pão quente" e ainda uma "taxa de abertura da padaria". Tudo com muita cordialidade e muito profissionalismo, claro.

Fazendo uma comparação que talvez os padeiros não concordem, foi o que ocorreu comigo no meu Banco.

Financiei um carro, ou seja, comprei um produto do negócio bancário. Os senhores cobram-me preços de mercado, assim como o padeiro cobra-me o preço de mercado pelo pão.

Entretanto, de forma diferente do padeiro, os senhores não se satisfazem cobrando-me apenas pelo produto que adquiri.

Para ter acesso ao produto do v/. negócio, os senhores cobram-me uma "taxa de abertura de crédito"-equivalente àquela hipotética "taxa de acesso ao pão", que os senhores certamente achariam um absurdo e se negariam a pagar

Não satisfeitos, para ter acesso ao pão, digo, ao financiamento, fui obrigado a abrir uma conta corrente no v/. Banco. Para que isso fosse possível, os senhores cobram-me uma "taxa de abertura de conta".

Como só é possível fazer negócios com os senhores depois de abrir uma conta, essa "taxa de abertura de conta" se assemelharia a uma "taxa de abertura de padaria", pois só é possível fazer negócios com o padeiro, depois de abrir a padaria.

Antigamente os empréstimos bancários eram popularmente conhecidos como "Papagaios". Para gerir o "papagaio", alguns gerentes sem escrúpulos cobravam "por fora", o que era devido. Fiquei com a impressão que o Banco resolveu antecipar-se aos gerentes sem escrúpulos. Agora, ao contrário de "por fora" temos muitos "por dentro".

Pedi um extracto da minha conta - um único extracto no mês - os senhores cobram-me uma taxa de 1 EUR. Olhando o extracto, descobri uma outra taxa de 5 EUR "para manutenção da conta" - semelhante àquela "taxa de existência da padaria na esquina da rua".

A surpresa não acabou. Descobri outra taxa de 25 EUR a cada trimestre - uma taxa para manter um limite especial que não me dá nenhum direito. Se eu utilizar o limite especial vou pagar os juros mais altos do mundo. Semelhante àquela "taxa por guardar o pão quente".

Mas os senhores são insaciáveis.

A prestável funcionária que me atendeu, entregou-me um desdobrável onde sou informado que me cobrarão taxas por todo e qualquer movimento que eu fizer.

Cordialmente, retribuindo tanta gentileza, gostaria de alertar que os senhores se devem ter esquecido de cobrar o ar que respirei enquanto estive nas instalações de v/. Banco.

Por favor, esclareçam-me uma dúvida: até agora não sei se comprei um financiamento ou se vendi a alma?

Depois de eu pagar as taxas correspondentes talvez os senhores me respondam informando, muito cordial e profissionalmente, que um serviço bancário é muito diferente de uma padaria. Que a v/. responsabilidade é muito grande, que existem inúmeras exigências legais, que os riscos do negócio são muito elevados, etc., etc., etc. e que apesar de lamentarem muito e de nada poderem fazer, tudo o que estão a cobrar está devidamente coberto pela lei, regulamentado e autorizado pelo Banco de Portugal. Sei disso, como sei também que existem seguros e garantias legais que protegem o v/. negócio de todo e qualquer risco. Presumo que os riscos de uma padaria, que não conta com o poder de influência dos senhores, talvez sejam muito mais elevados.

Sei que são legais, mas também sei que são imorais. Por mais que estejam protegidos pelas leis, tais taxas são uma imoralidade. O cartel algum dia vais acabar e cá estaremos depois para cobrar da mesma forma.



CASCATA DO SÃO JOÃO ( PORTO-HOSPITAL)

20 junho 2008

HISTÓRIAS DA MINHA INFÂNCIA






- Oh João, acorda que já são horas.
Abri os olhos e no meio da escuridão respondi:
- Está bem, eu já me ponho a pé.
A minha mãe continuou:
- Vá, levanta-te e veste a roupa que tens na barra da cama. Tens o jarro cheio de água para deitares no lavatório e lavares a cara. Ouve, o lume está aceso, se quiseres tens pão dentro da bolsa que está pendurada no prego por cima da mesa da cozinha. Parte uma fatia e põe-na a torrar na grelha e unta com um fio de azeite. E em cima do fogão tens um copo de alumínio com leite. Liga o fogão e aquece o leite. Tem olho nele e não o deixes ferver até sair por fora. Vá, levanta-te.
A porta do quarto fez barulho quando a minha mãe saiu os meus olhos fecharam-se sem o menor ruído e toca a virar para o lado da parede para aproveitar mais um bocadinho no quentinho.
Foi a murrenhice mais rápida que me lembro. Não é que o raio do burro desatou a abrir a boca e zurrar bem alto assim que a minha mãe abriu a porta da loja! Só podia ter sido a minha mãe que foi à loja amanhar o burro e dar de comer ao gado. Que mania têm de ir à loja cedo. É sempre a mesma cantilena e o remédio é aguentar e acordar. Até parece que o burro sabe que é chegada a hora de comer palha ou umas canas de milho. O que ele nunca sabe é como é que vai ser o dia.
Com tanto zurrar, também a vaca não se ficou por menos e vai daí ouço um daqueles muus que toda a vizinhança ficou a saber que a Ti Benvinda já anda na loja.
Bom, não tive outro remédio senão sair do ninho. Sentei-me na borda da enxerga e às apalpadelas procurei a roupa que ia vestir. Toca a lavar a cara e a pentear que o dia vai começar.
Hoje, primeira quinta feira do mês, a minha mãe vai levar-me ao mercado do Sabugal. Tenho que comportar-me bem e não fazer birras. Logo, à tarde, depois de chegar do mercado, já posso ir brincar com o tractor, com reboque, pois a minha mãe prometeu que me comprava um.

19 junho 2008

ESTRADA DE MALCATA: TRAÇADO E PISO REMODELADO

video

As obras da estrada de Malcata estão a chegar ao fim. Em Maio último já senti a diferença e o aumento de conforto ao percorrer os 6 quilómetros que a estrada continua a ter. De facto, o piso de asfalto é muito, mas muito mais macio e deixa-nos a sensação de que o as novas estradas também já chegaram a Malcata. A estrada está mais larga, algumas curvas foram retocadas, outras foram eliminadas e as bermas estão agora prontas a escoar as águas da chuva. A sensação que tive ao experimentar a "nova" estrada é que podiam ter ido ainda mais longe. Há curvas que simplesmente se deslocaram uns metros, mantendo o mesmo corte ( exemplo disto é a curva que se situa antes ou depois do campo de futebol, conforme o sentido em que nos dirigimos. Há outra curva que ainda não entendi o porquê do trabalho que tiveram para ficar mais do mesmo, ou seja, a curva no traçado antigo apenas tinha um mau piso. Ouvi por aí dizerem que ficou assim porque os donos das terras não cederam nos seus direitos de proprietários. Talvez as contrapartidas também não tenham sido bem propostas e a aldeia perdeu a oportunidade de realmente passar a ser servida com uma estrada mais bem desenhada.
Contudo, o que está feito, feito está. A obra arrastou-se durante largos meses. Ainda faltam alguns pormenores no seu acabamento: pintar as faixas de rodagem, colocar os rails de protecção, respectiva sinalização vertical como a lei manda.
Fica um agradecimento ao Presidente da Junta de Freguesia de Malcata pelo empenho que colocou antes e durante a obra e há que salientar que lutou para que Malcata beneficiasse realmente com esta melhoria rodoviária.

18 junho 2008

FARMÁCIA CENTRAL DO SABUGAL




O Teatro Tivoli, em Lisboa, foi no passado dia 4 de Junho palco da cerimónia de atribuição dos Prémios Valormed 2007, evento que se destina a premiar as farmácias que mais se distinguiram na adesão ao SIGREM- Sistema Integrado de Gestão de Resíduos de Embalagens e Medicamentos fora de uso. É um projecto que visa aliar a saúde ambiental à saúde pública.

Das 2.748 farmácias aderentes ao SIGREM (nada menos do que 98% do total de farmácias do país), 46 viram assim ontem o seu trabalho destacado da melhor forma, com galardões que premeiam a sensibilização que providenciam ao público e as quantidades recolhidas de resíduos de embalagens e medicamentos fora de uso.

O Sabugal foi representado pela Farmácia Central tendo recebido das mãos da embaixadora da campanha Valormed 2008, a estilista Fátima Lopes, um novo ímpete para continuar a valorizar a recolha de medicamentos usados.

16 junho 2008

QUEM COMPRA?

OS MOLEIROS DE MALCATA

Moinho recuperado



Ver a mó a moer


Visita ao moinho



video

Vídeo Beira TV




Ainda me lembro dos tempos em que o Ti Quim Nita( pai do Joaquim António, ex-Presidente da Junta de Freguesia de Malcata) carregava o burro com as sacas de "pão"(centeio ou trigo) e as levava para o moinho. Uns dias depois, uns dias depois, via o burro chegar ao Carvalhão (lugar onde ainda vivem os meus pais e o Ti Quim) com as talegas cheias de farinha.
Em Malcata havia mais moinhos e também mais moleiros. Hoje, jazem todos afogados nas águas da albufeira da Barragem do Sabugal. Nada nem ninguém impediu o seu desaparecimento. Quem os conheceu e quem deles viveu, só restam as memórias dessas autênticas e genuínas moagens.
Em boa hora( talvez não a melhor opção de localização porque a água é pouca) a Junta de Freguesia construiu um novo moinho para não apagar de vez essas vivências e riquezas que outrora contribuiram para o desenvolvimento da nossa aldeia.
"Moinhos da Baságueda-Comunidades Rurais: Saberes e Afectos"é o título de um livro da autoria de Lopes Marcelo. Este amante dos moinhos decidiu salvar parte deste património e recuperou um moinho, na esperança de que as autoridades competentes e outros proprietários lhe seguissem o exemplo, preservando esta arte secular.
José Martins, desde os 36 anos de idade que não se cansa de olhar para as mós a rodar e com essas voltas e voltas a transformar o grão em farinha.
O vídeo que acompanha esta postagem foi produzido pela BeiraTv e é um documento com muita importância e actualidade. Disfrutem e reflictam sobre este tema e talvez ajude a no futuro as pessoas lutarem pelo seu património, pelas suas raizes e quem sabe até pelo seu próprio bem-estar presente e futuro.

15 junho 2008

O FONTANÁRIO É DE TODOS

Fontanário

Foi assim que encontrei o fontanário junto à "Escola Primária" do Sabugal. Ainda bem que as temperaturas primaveris não estão a ser o que já foram. Não me parece bem que uma obra particular impeça o acesso ao fontanário e muito menos pô-lo a servir de muleta para pedras e bidões. Há ou não regras que devem ser respeitadas ?

14 junho 2008

I PASSEIO DE BTT DE MALCATA


A ACDM(Associação Cultural e Desportiva de Malcata),
e a Junta de Freguesia de Malcata vão organizar o
I PASSEIO DE BTT pelos caminhos da Serra da Malcata.

Dia: 29 de Junho de 2008
Início: 8:30
Percurso: 25Km e 55 Km
Preço: 5 pedais, inclui almoço
Contactos: 96 6394053 e 96 676 9987

O LINCE DA MALCATA


12 junho 2008

SERRA DA MALCATA ESTÁ PREPARADA PARA RECEBER O LINCE IBÉRICO?

Serra da Malcata
O Centro de Reprodução do Lince Ibérico deverá estar pronto em Dezembro e vai servir de ‘maternidade’ para a Serra da Malcata.
O lince ibérico vai regressar ao Algarve no início do próximo ano.No passado dia 6 de Junho foi apresentada a 'casa' que vai albergar o lince ibérico que está a ser construída num espaço de 150 hectares na Herdade das Santinhas, no concelho de Silves.
O centro reprodutor vai ter a capacidade para receber 16 linces em Janeiro de 2009, mas apenas seis virão do Parque Donaña, instituição espanhola que alberga os últimos linces em cativeiro. Após a reprodução no novo centro, os felinos serão transportados para a Reserva Natural da Serra da Malcata, de modo a serem libertados no seu habitat natural.

Serra da Malcata
A apresentação contou com a presença do ministro do Ambiente, Nunes Correia, que considerou ser um dos maiores investimentos efectuados em Portugal nos últimos anos em termos de política ambiental.
"É um dos maiores e mais importantes investimentos dos últimos anos", confessou o governante, que atendeu à cerimónia para, simbolicamente, lançar a primeira pedra do centro reprodutor, que faz parte de uma das medidas compensatórias impostas pela União Europeia para a construção da Barragem de Odelouca.
"Muitas palavras foram ditas, mas este é o primeiro acto concreto para salvar uma das espécies em risco da Península Ibérica", sublinhou o ministro, acrescentando que "o lince é uma questão emblemática que se discute há mais de 30 anos".
O ministro do Ambiente classificou de "muito importante" o apoio de Espanha na implementação deste projecto em Portugal, destacando que "sem aquele país, isto não seria possível".
A obra terá um custo de 3.6 milhões de euros e é financiada pela Águas do Algarve, em colaboração com o Programa Operacional do Ambiente, e está adjudicada à empresa de construções H. Hagen, S.A.


OA/Lusa

MALCATA DO MEU ENCANTO

SABEDORIA ÁRABE

Não digas tudo o que sabes

Não faças tudo o que podes

Não acredites em tudo o que ouves

Não gastes tudo o que tens.

Porque:

Quem diz tudo o que sabe

Quem faz tudo o que pode

Quem acredita em tudo o que ouve

Quem gasta tudo o que tem.

Muitas vezes,

Diz o que não convém

Faz o que não deve

Julga o que não vê

Gasta o que não pode...

09 junho 2008

NÃO POSSO IGNORAR

CENTRO DE SAÚDE DO SABUGAL
NÃO CUMPRE O DEC.LEI 123/97


Escadas de acesso à entrada



Os utentes que se deslocam a pé têm que subir quase 20 degraus até chegar à porta de entrada do Centro de Saúde.








Rampa de acesso ao Centro de Saúde(veículos motorizados, porque cadeiras de rodas...corre o risco de esgotamento físico).

O QUE EU VI:

Em Maio passado acompanhei a minha mãe até ao Centro de Saúde do Sabugal. Não sou de opinião que o Centro de Saúde seja mau ou que funcione mal, pelo contrário, até tenho uma opinião muito positiva acerca do funcionamento da instituição e grande apreço por todos os profissionais que lá trabalham. As instalações apresentavam-se limpas e ouvi muitos elogios dos utentes. O que não posso ignorar são as condições de acessibilidade para os utentes mais idosos e aqueles que têm uma mobilidade condicionada. Estes utentes não têm a vida facilitada no que diz respeito às acessibilidades ao Centro de Saúde. Como documentam as fotografias, todos os que não tenham automóvel são obrigados a subir umas escadas ou então subir pela rampa usada pelas ambulâncias, táxis ou outros veículos motorizados.
O Dec.Lei 123/97 diz que todos os projectos dos centros de saúde têm que ter ou criar condições de acessibilidade às pessoas com mobilidade reduzida.

FESTA DA CARQUEJA EM MALCATA






"Malcata - Festa da Carqueja com várias actividades

A freguesia de Malcata assistiu, mais uma vez, à tradicional Festa da Carqueja, a 25 de Maio. Este ano, e apesar do mau tempo que se fez sentir, várias actividades fizeram parte do programa organizado pela Associação Cultural e Desportiva de Malcata.

À semelhança de anos anteriores, a Associação Cultural e Desportiva de Malcata organizou a tradicional «Festa da Carqueja», no domingo, 25 de Maio.

O programa deste dia, em que o mau tempo se fez sentir logo pela manhã, começou com uma caminhada desde a aldeia à Serra da Malcata, onde os participantes puderam observar os campos todos revestidos da flor da carqueja.

Seguiu-se um almoço de convívio com os participantes, bem como «para quem quisesse comparecer», tal como referiu ao Cinco Quinas, Abílio Rato, membro da Associação Cultural e Desportiva de Malcata.

De tarde, e já com condições climatéricas mais favoráveis à realização de actividades ao ar livre, tiveram lugar jogos tradicionais como malha, raiola, corrida de sacos e jogo do cântaro. (Continua na próxima edição impressa do Cinco Quinas)".

in "Jornal Cinco Quinas"

05 junho 2008

AUDIOGUIAS PARA CONHECER MALCATA




Equipamento único na região


A Câmara da Guarda apostou numa forma cómoda e conveniente de mostrar a cidade aos turistas: com “audioguias”, cada um segue ao seu ritmo o roteiro e as explicações gravadas. Até final do ano, a ideia pode ser estendida a outros locais do concelho
“Bem-vindo ao «audiotour» da cidade e concelho da Guarda”. Assim começa, no centro histórico da cidade, um roteiro guiado por dois intérpretes virtuais, a Marta e o Paulo, que conduzem o visitante pelo património histórico e cultural. Os “audioguias” começaram a funcionar no Dia da Cidade, a 27 de Novembro de 2007.
Está disponível em português, inglês e espanhol. Até ao final do ano haverá ainda traduções em francês e italiano. Cada língua tem uma versão para adultos e outra, mais simplificada, para crianças.
O aparelho é solicitado no Posto de Turismo, mediante uma caução de 20 euros, devolvida no acto de entrega. É também oferecido um desdobrável com o mapa das ruas a visitar, códigos e respectivas informações. Depois de escolhido o idioma, se forem seguidos todos os pontos, a visita deverá demorar cerca de hora e meia.


CULTURA E PAISAGEM TAMBÉM EM DESTAQUE
Enquanto se caminha para o largo do Torreão, ouvem-se mais detalhes sobre a paisagem, os vestígios arqueológicos do concelho, as muralhas, criação de gado e agricultura, as serras da Malcata e da Estrela, sendo ainda sugerida uma passagem pela estação arqueológica do Mileu, na zona urbana, ou pelos castros do concelho.


Os audioguias são inovadores na região e a conveniência do sistema é indiscutível.
Desde que começaram a funcionar até 16 de Maio último, os “áudio-guias” já foram requisitados por 169 pessoas. Destas, 155 eram de nacionalidade portuguesa, 14 da vizinha Espanha e duas de nacionalidade inglesa. Foram solicitados 57 conteúdos para adultos e 102 conteúdos para crianças, números que a vereadora do Turismo encara com alguma “satisfação”. O sistema custou cerca de 40 mil euros, comparticipados a 75 por cento através de uma candidatura apresentada pela Associação Pro-Raia a fundos europeus.

In “Diário XXI” por Susana Margarido

01 junho 2008

6º TORNEIO INTER - FREGUESIAS



Continua a decorrer o 6º Torneio de Futsal Inter-Freguesias do Sabugal. A equipa de Malcata, incluida no Grupo E, tem estado bem e os próximos jogos vão ser importantes para a equipa. Após 4 jogos a equipa está em 3ºlugar, com menos 3 pontos que Aldeia do Bispo, que ocupa agora o primeiro lugar. Vamos lá cambada, chutar a bola e meter golos na baliza dos adversários. Tenham cuidado com as pressões e tentativas de suborno...não sigam o exemplo do FCP porque leva tudo a perder e nem a água da barragem chega para apagar o incêndio.
Viva o desporto!

TURISTAS EM MALCATA


Observem atentamente estas imagens.
Que lhes parece mostrar?
Trata-se de quatro fotografias que retratam o interior de uma casa, apresenta um clima sossegado, acolhedor, com aquecimento na sala, umas escadas que nos levam a um andar mais acima, uma cama e o anoitecer com a serra lá ao longe.

Ora, estas fotografias mostram o interior de uma casa que serve de alojamento aos turistas que escolham passar por Alfandega da Fé. O Município teve uma ideia excelente: transformou as escolas primárias, agora desactivadas, em locais de sonho e descanso para os turistas. "Onde antes havia salas de aulas, há agora quartos ou salas.Nos espaços onde se acotovelavam crianças, podem agora descansar turistas ou visitantes mais ou menos acidentais". in"Notícias Sábado"



Escola Primária de Malcata


Meus caros, aqui está um exemplo de inovação. As escolas primárias do Concelho do Sabugal, nomeadamente a escola primária de Malcata, estão vazias, com as portas e janelas fechadas. A escola primária de Malcata está apenas com uma sala ocupada pela ACDM(Associação Cultural e Desportiva de Malcata) onde tem a sua sede. O edifício tem mais duas salas de aulas vazias. Porque não aproveitar esta ideia de Alfandega da Fé e reconverter o edifício em casa de repouso para turistas? A partir da escola, o turista tem a possibilidade de passear pela aldeia, pela Serra da Malcata e pelas terras da nossa zona( Sortelha, Sabugal, Vilar Maior...)e vir pernoitar na aldeia. O alojamento, tal como o fazem em Alfandega da Fé, devia ser acessível( 50€ por noite, para quatro a seis pessoas...) E se os turistas não decidirem comer "em casa" poderiam contar com serviço de refeições no Bregas Bar, no Café Camões, na Tasca do Manel ou no Café Lince.
Estão a visualizar onde quero chegar?


A casa está construida e se o Plano de Educação do Sabugal for aprovado, em Malcata a escola irá manter-se encerrada. Reconverter o edifício escolar em alojamento turístico seria uma feliz ideia para manter em bom estado a "escola" e ter um local de alojamento turístico sem grandes investimentos. O local onde está construida a escola é fantástico, os espaços exteriores podem reconverter-se num espaço privilegiado para disfrutar da paisagem magnifica da Serra da Malcata e agora também da albufeira da barragem.
Era bom que as entidades responsáveis olhassem ou pelo menos pensassem nesta ideia. É tudo uma questão de querer e sonhar com aquilo que outros já têm como realidade e estão satisfeitos e contentes com os ganhos que estão a receber.

MAIO EM MALCATA