31 dezembro 2008

UM NATAL DIFERENTE

Mais uma estrela brilha no céu.

Ela libertou-se.

Está em paz e velará sempre por nós.

Todos a amamos muito pelo amor incondicional que dedicou ao marido, filhos, netos e netas e todos que dela necessitavam.

É corajosa, tenaz, trabalhadora e nunca morrerá, porque só se morre quando se é esquecido e nós mantê-la-emos sempre viva em nossos corações.

Por razões que só Deus sabe, chamou-a no dia de Natal. Talvez para, finalmente, poder aconchegar os seus três outros bebés, há tanto sozinhos.

Amamos-te, mãe.
















30 dezembro 2008

DR. ARTUR COELHO

"Malcata – Apelo a dadores de medula no Centro de Saúde do Sabugal

A campanha de pedido de recolha de amostras de sangue a pessoas que possam ter medula óssea compatível com Artur Coelho tem um dos pontos fulcrais no Centro de Saúde do Sabugal, onde os interessados podem inscrever-se para o estudo de compatibilidade

Artur Coelho, pediatra no Hospital Pediátrico de Coimbra, é natural de Malcata, e tem uma leucemia mieloblástica aguda, uma doença que afecta o sangue. Esta doença só poderá ser tratada se for encontrada uma pessoa com medula óssea compatível.
Com base neste facto, em Malcata e no Sabugal estão colocados, nas montras de alguns estabelecimentos comerciais panfletos que apelam ao espírito de solidariedade de cada um. Nesses estabelecimentos, as pessoas podem fazer uma inscrição, que será posteriormente entregue no Centro de Saúde do Sabugal, local onde os interessados podem também dirigir-se para mais tarde fazerem um estudo de compatibilidade.
Uma das organizadoras desta espécie de ‘abaixo-assinado’ conta que ainda não há confirmação dos inscritos até ao momento. Porém, apela a que, ao longo do mês de Janeiro, as pessoas que estão em condições de se inscrever, o façam, apesar de ter já sido feito um pedido especial aos familiares mais directos do médico de Malcata. Este pedido poderá ajudar a descobrir mais facilmente um dador compatível, uma vez que, entre parentes, a compatibilidade tende a aumentar".

in Cincoquinas

24 dezembro 2008

NASCER CRIANÇA

NATAL E BOAS FESTAS



NATAL NATAL NATAL










Presépio no Hospital Sousa Martins ( Guarda )








Presépio no Hospital Sousa Martins ( Guarda )




A GRANDIOSIDADE DO HOMEM

NÃO SE MEDE PELO BERÇO, MAS PELAS SUAS ACÇÕES.

FELIZ NATAL...BOAS FESTAS.



O verdadeiro Natal dos Hospitais é feito de muitas histórias tristes, que nem a aparente alegria despreocupada das prendas consegue esconder.

O Serviço de Medicina está, no dia 24 de Dezembro, repleto de "utentes". O tradicional despejo de Natal, geralmente invisível aos olhos da maioria, apresentava-se em todo o seu esplendor no internamento de medicina. Centenas de "velhotes" são todos os anos abandonados no Serviço de Urgência, sem vida de relação com o exterior, sem família. Perdão: com família desertora. Esta é a outra face do Natal.
Este é o verdadeiro Natal , ou antes, uma pequena amostra... amanhã passarei a noite a ouvir estas histórias num hospital do meu país.

A todos aqueles que trabalham nesta época natalícia e aos que por aqui vierem Votos de um Feliz Natal.










22 dezembro 2008

O NATAL ESTÁ A CHEGAR

Estrela de Natal ilumina Malcata




A GRANDIOSIDADE DO HOMEM
NÃO SE MEDE PELO BERÇO,
MAS PELAS SUAS ACÇÕES.





O Presépio do Emanuel

19 dezembro 2008

O SAP DO SABUGAL ENCERRA OU NÃO ?




Afinal, em quem devemos acreditar?

«Segundo o Cinco Quinas o Senhor Secretário de Estado da Saúde, Manuel Pizarro, na apresentação oficial do candidato do P.S. à Câmara Municipal do Sabugal, afirmou: «O P.S. não vai alterar o horário de funcionamento do Centro de Saúde do Sabugal. Isso são mentiras espalhadas pelo P.S.D.»
O semanário "Expresso" divulga:
“Os Serviços de Atendimento Permanente (SAP) do distrito assinalados há mais de um ano pelo Ministério da Saúde deverão encerrar no primeiro semestre de 2009. Em troca, a região passará a dispôr de um helicóptero, sedeado em Aguiar da Beira. Em entrevista ao semanário "Expresso", Ana Jorge afirmou que é preciso «criar condições para acabar com os períodos nocturnos, porque não têm sentido para existir».

Quando inaugurou os Centros de Saúde de Gouveia e Manteigas, em Julho último, a ministra adiou "sine die" o encerramento dos 11 SAP do distrito e garantiu que o fecho só aconteceria quando houvesse condições para tal. O que vai acontecer brevemente, com a entrega de três helicópteros – em Ourique, Macedo de Cavaleiros e Aguiar da Beira. Em consequência, fecham quase duas dezenas de serviços do Norte e Centro do país”.
Por sua vez, Manuel Rito, autarca do Sabugal, é peremptório e garante que não concorda com as intenções do Ministério da Saúde. «O Sabugal está a mais de 30 minutos, e alguns locais deste município a mais de uma hora, do hospital de referência», recorda, sublinhando que as contrapartidas «são insuficientes».

18 dezembro 2008

ATENÇÃO SENHORES PASSAGEIROS


O comboio seguro, rápido, confortável e pontual a chegar às estações é e será um excelente meio de transporte em qualquer parte do mundo. Também a minha vida está cheia de viagens de comboio do Porto para a estação do Barracão-Sabugal. Durante muitos anos, sempre que ia de férias da escola, entrava no comboio às 9:30 nas Devesas e depois de 18 estações chegava à Pampilhosa. Deixava a Linha do Norte e às 12:30 entrava na linha o comboio procedente de Coimbra com destino a Vilar Formoso, pela Linha da Beira Alta. Mais 18 estações e algumas horas depois chegava à Estação da Guarda já o relógio marcava as 16:30. Toca a estar atento e ouvir através dos altifalantes a indicação da carruagem que seguiria para Lisboa, via Beira Baixa, só assim o comboio me deixava na Estação do Barracão-Sabugal.



Era um alívio quando descia nesta estação e sempre que podia apertava a mão ao chefe da estação, ao conterrâneo Armando. Mas não havia tempo a perder porque a camioneta da Viúva Monteiro estava à espera de seguir viagem até aao Sabugal. Era o famoso Serviço Combinado com a CP, que muitas vezes a espera pelos passageiros do comboio era tão longa que quando nós entrávamos na camioneta só ouviamos suspiros de alívio. E depois de muitas curvas, paragens e despedidas lá chegava à Vila do Sabugal. O relógio marcava as 18 horas e a viagem ainda não tinha acabado. Agora tinha que procurar um carro de aluguer e pagar mais 10 quilómetros de frete. Finalmente podia sentar-me num banco confortável e sem ter as malas a incomodar as minhas pernas. Para trás ficaram muitas estações, alguns empurrões e calcadelas, as bilhas de barro com a água fresca do Luso e os olhos só se fixavam na velha estrada que me levaria ao encontro da minha mãe, familiares e amigos.







Isto era antes, lá pela decada de 70/80. E hoje o que mudou? A Estação Barracão-Sabugal ainda lá está. Agora, só tem um par de carris, está vazia, envelhecida, não tem chefe, não tem bilheteira, não tem taxis, não tem pessoas e até o tempo do relógio parou. Será que ali passa algum comboio?
O transporte ferroviário pode de facto ser importante para o desenvolvimento do Concelho do Sabugal. Não é o facto de as linhas estarem longe da cidade, ou as pessoas já não utilizarem este meio de transporte de mercadorias e pessoas como antes. As coisas estão como estão porque continua tudo longe, distante e os acessos são ainda os mesmos. Há muito para transformar, há muito para trabalhar e o comboio, se as pessoas quiserem, se os decisores políticos apresentarem ideias e planos tudo será melhor e eu serei um dos que escolherei o comboio para viajar e enviar as minhas coisas para a "central" do Sabugal.

17 dezembro 2008

ESTRELA E PRESÉPIO NO SABUGAL

Estrela no Castelo
Presépio no Largo da Fonte
O Natal está mesmo aí. A noite estava fria e muito molhada. Apesar disso, a cidade estava diferente. A estrela lá no alto da torre do castelo indicava que estava a caminhar na direcção certa. Antes de me aproximar do astro pentagonal e luminoso, parei no Largo da Fonte em busca do presépio. A escuridão e a chuva dificultaram a minha busca, mas depois de percorrer todo o largo acabei por encontrar um pequeno jardim rodeado por uma pequena cerca de madeira e no centro uma cabana onde se abrigavam as figuras tradicionais do presépio.
Frio, chuva, vento e falta de LUZ foi o que senti nessa noite de Dezembro.

14 dezembro 2008

O DR. ARTUR COELHO PEDE AJUDA




Li esta motícia no Jornal "Cinco Quinas" on line. Ainda esta semana estive em Malcata e passei à frente da casa dos pais do Dr.Artur. Para além de ser conhecido pela sua profissão, em Malcata todos o conhecem e à sua família. Não posso ficar indiferente a este apelo. A minha idade já não se enquadra no grupo de pessoas que podem possuir medula óssea compatível. Vou dar a minha ajuda e colaboração naquilo que puder. Para já começo por ajudar a divulgar este apelo.

"Malcata – Pedido de doação de medula óssea Artur Coelho, natural de Malcata, tem uma leucemia mieloblástica aguda, uma doença que afecta o sangue. O tratamento requer um transplante de medula óssea compatível, pelo que se apela a todas as pessoas que façam o estudo de compatibilidade.

Artur Coelho, pediatra no Hospital Pediátrico de Coimbra, é natural de Malcata e filho de Joaquim Coelho e de Dulce de Jesus Nabais Pereira, bem como sobrinho do Padre Miguel, do Soito.
A doença de que padece só poderá ser tratada se for encontrada uma pessoa com medula óssea compatível, pelo que se apela ao espírito natalício de cada um: para fazer o estudo de compatibilidade, basta dar um pouco de sangue. Assim, quem quiser ser solidário com a causa necessita apenas de ter entre 18 e 45 anos e pesar pelo menos 50 quilogramas. Para se registarem como dadores, os interessados podem dirigir-se ao Centro de Histocompatibilidade do Sul, Alameda das Linhas de Torres, 117, 1769-001 Lisboa, ou pelo telefone 217504100. Outro local onde podem inscrever-se é o Centro de Histocompatibilidade do Centro, que funciona na Praceta Prof. Mota Pinto, 3001-301 Coimbra (junto aos HUC), ou através do telefone 239480700. O Centro de Histocompatibilidade funciona ainda na zona Norte, no Pavilhão Maria Fernanda, na Rua Roberto Frias, 4200-467 Porto, ou pelo telefone 225573470.
Existe ainda serviço de sangue nos hospitais IPO de Lisboa, D. Estefânia, Amadora-Sintra, Barreiro, Torres Novas, Abrantes, Tomar, Beja, Elvas, Évora, Faro, Guarda, Portimão, Portalegre, Litoral Alentejano, Vila Franca de Xira, Funchal, Ponta Delgada e Horta, bem como nos Centros de Saúde de Mafra, Coruche, Vila do Porto, Santa Cruz das Flores, Madalena, Velas, Santa Cruz da Graciosa, Calheta e Ribeira Grande, bem como em várias localidades no estrangeiro".
Os interessados em obter mais informações podem fazer o contacto através do e-mail causa-arturcoelho@sapo.pt.

06 dezembro 2008

FOI HÁ DOIS ANOS QUE EU O CONHECI

O tempo nunca pára. Os homens sim, podem fazer do tempo aquilo que bem entenderem. Há dois anos conheci pessoas que, passo a passo, estão a percorrer um caminho. E o mais interessante é que convidam outras pessoas a fazer-lhes companhia e a juntarem-se para juntos chegarem ao mesmo destino. Fico contente por caminhar com elas e assim poder contribuir para mais pessoas alcançarem a felicidade. Um dia, os nossos filhos e filhas agradecer-nos-ão o que hoje andamos a construir e saberão reconhecer que o concelho do Sabugal é uma área do país onde apetece viver.

03 dezembro 2008

EIS OS CANDIDATOS AO PODER


Documento retirado do Jornal "Cinco Quinas"


As eleições só são em 2009 e começam a aparecer os candidatos ao poder do Sabugal. A luta vai ser longa e dura. Quem ganhará ? A internet vai ser mais um poder a ser conquistado pelos candidatos que se apresentarem. Basta clicar e pesquisar o tema "eleições no Sabugal", "candidatos à Câmara do Sabugal" ou outras palavras parecidas. E alguns já iniciaram a sua cruzada. Vamos indo e vamos lendo e formando as nossas ideias acerca deste tema.

NEVE PINTA MALCATA DE BRANCO

Cristovão Varandas surpreendido com o manto branco que se estendeu sobre a aldeia de Malcata, não resistiu a tanta beleza e quis retratá-la:







Três belas fotografias da autoria de Cristovão Varandas, mostram a aldeia de Malcata como há muito não víamos. O frio destes últimos dias trouxe a neve às ruas e campos de Malcata e arredores. Faz-me recordar aqueles grandes nevões dos anos sessentas. Isso sim, eram nevões a sério. Para além das guerras com bolas feitas de neve, o que nos dava gozo eram enrolar a neve numa pedrinha e depois se transformava numa grande bola de neve. E os pingentes de gelo nos beirais dos telhados? Lembram-se das sacas de sal que se deitavam nas ruas a fim de se poder caminhar a pé. O gado, esses animais, coitados deles, aguentavam os dias nas lojas e restava-lhes comer o que o dono lhes punha na manjedoura.


01 dezembro 2008

SABUGALtv:UMA JANELA ABERTA

http://sabugaltv.cm-sabugal.pt
SabugalTv já começou as suas emissões. Há muito que estava à espera que se abrisse esta janela.
Com o desenvolvimento das tecnologias de informação, o SabugalTV mais tarde ou mais cedo iria surgir. A Câmara em boa hora decidiu investir neste projecto. Não se trata de um projecto inovador. Desde 2006 que o aparecimento de canais de tv on line ou televisões regionais, não pára de crescer. O importante é que o concelho abriu-se ao mundo e tem agora uma janela aberta para mostrar muita coisa que por aqui se realiza, se realizou ou se irá realizar.
Os objectivos da SabugalTv são estes:
- Acompanhar, promover e divulgar as tradições de um concelho povoado por 40 freguesias.
- Apresentar, difundir e valorizar o património histórico e natural de mais de 100 localidades.

Na apresentação do canal, o vereador António Robalo disse que " através deste projecto, desta janela, podemos criar e despertar alguma atractividade, para que quem hoje, e são muitos, que utilizam as novas formas de comunicação e as novas tecnologias, possam receber um "clic" no dedo e que passe para a cabeça e digamos, dê azo a que as pessoas fiquem curiosas e possam visitar mais vezes o Sabugal. É mais para quem está fora do concelho. Só quem nunca esteve fora é que não sabe as saudades que o Sabugal ou a sua terra induz nas pessoas que estão fora daqui e não pode dar importância a um projecto destes. Nós temos que ter a noção de que qualquer pequeno sinal que seja imanado da nossa terra por aqueles que estão aqui, são feitas as mais variadas leituras por quem ama e gosta da sua terra e está longe".

Eu sou um dos raianos que vive fora do concelho, mas nunca deixei de me interessar por seguir o mais possível a vida deste pedaço de terra lusa. Felicito a Câmara Municipal por esta iniciativa. Desejo que a SabugalTV ajude a divulgar e promover o concelho e as suas freguesias, todas as suas freguesias e todo o seu património. Por favor, não deixem a SabugalTv transformar-se num canal de promoção política seja de que ideologia for. Cumpram os osbjectivos a que se propuseram e os sabugalenses saberão reconhecer a importância e o valor acrescentado que trouxeram ao concelho.



27 novembro 2008

SABUGAL, A CIDADE QUE NÃO É VILA

Sabugal-Uma das entradas(26-11-2008)

Sabugal é ou não uma das 150 cidades de Portugal?
Pelo que sei, foi em 9 de Dezembro de 2004 que a Assembleia da República aprovou a elevação da Vila do Sabugal a cidade. Já lá vão quatro anos e como mostra a fotografia há quem não concorde ou então, esqueceu-se das suas obrigações.
Recuando no tempo, foram os vereadores do PS que em Abril de 1999, apresentaram uma proposta no sentido de elevar a Vila do Sabugal a cidade. A proposta foi aprovada por maioria com a abstenção do senhor vereador Manuel Rito. E na mesma altura, o vereador António Robalo propôs a elevação do Soito a Vila, que foi aprovada por maioria, com a abstenção do vereador Manuel Rito.
Sabugal a cidade sim, mas o Soito vai ser Vila..."se os do Sabugal sobem de estatuto, também os do Soito devem subir",...terá sido este o pensamento de alguns? O que levou as pessoas a querer que a Vila se transformasse em cidade? O estímulo ao desenvolvimento aumentou com esta mudança? Melhoraram as condições dos seus habitantes e visitantes?
Muitos habitantes do Sabugal na altura desta alteração de Vila para cidade, mostraram-se surpreendidos. Hoje continuam sem entender e sem ver diferenças.
As leis em Portugal são fabricadas à medida dos pedidos e dos compadrios políticos. Para ser cidade há uma série de requisitos que devem ser cumpridos. Consultem a Lei 11/82 e verão que o Sabugal não os cumpre. Contudo, os legisladores acautelaram estas situações de imcumprimento dizendo na mesma lei que "importantes razões de natureza histórica, cultural e arquitectónica poderão justificar uma ponderação diferente dos requisitos enumerados".
Agora entendo as razões dos autarcas de Vila de Ponte de Lima, por exemplo, em não querer ser cidade. É melhor ser uma VILA do que uma cidade que não é vila, porque o deixou de ser. E não é cidade porque a Assembleia da República não acompanhou a decisão da criação de condições reais e verdadeiras para que a administração central e regional efectivamente contribuisse para a criação da cidade do Sabugal.

18 novembro 2008

DESPOVOAMENTO E DESERTIFICAÇÃO NO CONCELHO DO SABUGAL

DESPOVOAMENTO

ABANDONO




Despovoada, envelhecida e esquecida pelos poderes públicos, assim é a zona raiana da Beira Interior e da vizinha província espanhola de Salamanca. O retrato consta de um estudo apresentado pela Caritas.

A fatalidade é tal que o documento inclui uma espécie de epitáfio para esta vasta região: "Trata-se de uma das zonas mais desfavorecidas e pobres da Península Ibérica e da Europa, sem presente e sem futuro", conclui-se.


Promovido pela Caritas da Guarda, Salamanca e Ciudad Rodrigo, com a colaboração da Fundación para la Investigación Social Operativa e Aplicada (FINSOA) e do Observatório Económico e Social da Universidade da Beira Interior, o estudo foi levado a cabo em 73 freguesias dos dois lados da fronteira, num território com mais de três mil quilómetros quadrados, tendo sido inquiridos cerca de 150 pessoas, entre autarcas e responsáveis de diversas áreas.
A primeira constatação é a desertificação demográfica registada nos concelhos de Figueira de Castelo Rodrigo, Almeida, Sabugal e Penamacor (no distrito de Castelo Branco), bem como na província de Salamanca. "Desde 1950, esta região perdeu 58 por cento da sua população, passando de 92 mil para os 38.500 habitantes actuais", realça o estudo. Talvez por causa disso, os investigadores verificaram ainda que neste território ultraperiférico "há abandono e um tratamento desfavorável por parte dos governos de Portugal e Espanha".

ENVELHECIMENTO
Também não há "massa crítica por falta de emprego", sendo notória a "ausência de espírito empreendedor e cooperativo entre os residentes", já que a sua grande maioria vive "sobretudo das reformas ou da agricultura".

Face a este diagnóstico, a Caritas propõe-se criar um centro inter-diocesano de intervenção social e desenvolvimento, em Vilar Formoso, para "ajudar os habitantes a concretizar projectos económicos e a criar riqueza, mas também para corrigir a pouca eficácia dos serviços públicos, que não vão ao encontro das pessoas", considera Paulo Neves, da Caritas.
in Jornal de Notícias, 15 de Novembro de 2008








17 novembro 2008

BRICOSOLIDÁRIO NO SABUGAL

A carrinha da Esperança

800 212 008

Arranjo de portas, janelas, mudar um casquilho e a lâmpada,
mudar umas telhas partidas, um vidro partido, arranjar o esquentador, mudar uma fechadura, arranjar uma persiana...
todos aqueles pequenos arranjos que as pessoas não reparam porque a idade já é muita, o corpo anda doente ou não têm dinheiro para pagar os arranjos, não há que esperar pela vinda de França do filho ou do neto. Basta pedir ao vizinho, ao amigo, ao padre da aldeia que ligue para o 800 212 008. É um serviço gratuito, com a garantia da Câmara Municipal do Sabugal e da Pró-Raia.
800 212 008 o número da esperança


14 novembro 2008

OS CAVALOS NÃO VÃO A MALCATA



II CONCENTRAÇÃO INTERNACIONAL
PORSCHE FANS PORTUGAL
Saibam os senhores que elaboraram este cartaz que o Sabugal, quer gostem ou não, desde 9 de Dezembro de 2004 que é uma cidade portuguesa.
Há erros que podem e devem ser evitados. E quem tem guita para ter e manter um Porsche não deve cometer estas gafes.
Para além do erro no cartaz, convido os fans de PORSCHES que inadvertidamente se enganem no percurso e levem os cavalos a beber da água que corre na fonte de Malcata. Digo-lhes que não se vão arrepender e os cavalos vão agradecer.

12 novembro 2008

VIVACI PARA TODOS

























Vivaci na Guarda, Braga, Gaia, Setúbal, Évora e Vivaci nas Caldas da Rainha, Beja, Maia...



AS NOVAS TABERNAS DA GUARDA


As conversas dos nossos dias:
- Então, compadre, bom dia! Tanta pressa porquê?
- Ti Manel, vou à cidade. Vi na televisão que abriu o Vivaci na Guarda. Hoje não sei como passar o tempo e como está de chuva, olha, pensei ir até lá, ver como é aquilo. Olha que deve ser grande, com muitas lojas, restaurantes e tem lá um daqueles supermercados que tem tudo.
- Compadre, compadre, tenha cuidado. Olhe que eles o que querem é que lá gaste dinheiro. Tenha cuidado porque entra lá e sai de bolsos vazios e o carro atolhado de sacas de compras. Tenha cuidado com o que transporta no carrinho das compras.Há dias, o Ti Tó quando chegou a casa foi interrogado pela mulher acerca do soutien que comprou. Ele bem reafirmava que não tinha comprado nada daquilo, que não sabe como isso lá foi parar. Olhe, viu-se à rasca para convencer a Deolinda de que alguém lhe colocou aquilo no seu carro.
- Bem, mas queres vir ou não? Anda, vamos os dois passear e conhecer aquilo.
- Já que tanto insistes, eu vou. Mas, compadre, nada de compras, nada de roupas de mulher. Se for um meio quartilho, isso ainda vai. Vamos lá então...conhecer a nova taberna.

09 novembro 2008

OFÉLIA CLUB EM MALCATA ? SIM, MAS NÃO HÁ TERRENOS EM SALDO.














Será por aqui o Ofélia Club?



Continuam a decorrer as negociações entre a Câmara do Sabugal e os proprietários dos terrenos de Malcata, onde a Existence pretende construir um complexo turístico. A autarquia oferece 0.60 cêntimos e metro quadrado. Dizem eles que é mais elevado do que o que pagam no resto do concelho. Ora, claro está, há proprietários que não aceitam esta proposta. A Câmara do Sabugal, através do seu presidente, Manuel Rito Alves, já disse que "haverá outra reunião no final do mês, porque há pessoas que não querem vender os terrenos, mas penso que estão convencidas. Temos de lhes dar um espaço de reflexão".
Será que 0.60 cêntimos cada metro quadrado é um preço justo e aceitável? Um hectare de terreno equivale a 10.000 metros quadrados. As pessoas ouviram falar em 6000 euros por hectare. É muito euro, mas para 10.000 metros quadrados, as pessoas acham pouco.
Em Abrantes, a Câmara local está a braços com o mesmo tipo de investimento e também vai vender terrenos a 1.25 euros o metro quadrado. Diz a autarquia que este preço é um preço simbólico. E a Câmara do Sabugal não vende porque não tem terrenos em Malcata. Ou, se tivesse, aceitava vender a 0.60 cêntimos o metro quadrado?
Todos sabem a importância que pode ter este investimento em Malcata. Tenho a certeza que todos, mesmo os proprietários que reclamaram mais dinheiro pelo seu terreno, desejam que o empreendimento se construa em Malcata. O que não querem é vender ao desbarato. E lá têm as suas razões para assim agirem. Investir em Malcata, todos concordam e apoiam. Mas desejar "almoçar de graça" nem pensar!
O diálogo entre todos os interessados levará a uma boa decisão. Até ao fim do mês é tempo para reflectir.

07 novembro 2008

JORGE DEIXOU O BENFICA MAIS TRISTE

O Jorge acompanhado da sua família

Faz hoje oito dias. Não deu ainda para esquecer. É ou não a morte o fim de tudo?

A vida do homem é mesmo assim. Os anos vão passando e o corpo humano vai ficando mais frágil, mais fraco e às vezes, por várias razões, os orgãos vitais adoecem e deixam de funcionar normalmente. Não adiantam tratamentos à base de radiações, comprimidos, vacinas...o mal não desaparece do corpo. Foi o que aconteceu ao Jorge. Vivia em França com a Pascale e os seus dois rebentos. Agora, descansa no cemitério de Gesteira, ao lado de Soure.

O Jorge era benfiquista e sócio da Casa do Benfica de Soure. É de louvar a presença da bandeira da águia, solenemente transportada por um elemento da Casa do Benfica, durante toda a cerimónia fúnebre.

Como disse o padre de Gesteira, "Deus não deseja a morte do homem.Os orgãos humanos adoecem e não resistem à doença e deixam de executar as suas tarefas vitais, interrompendo a continuação da vida. Mas há outra Vida para além desta que conhecemos".

31 outubro 2008

PORQUÊ?




"Acabava de lhe levar uma chávena de café com leite.

Já estava melhor! Mas quando voltei à enfermaria, já tinha morrido"- disse o auxiliar de acção médica.

Porquê? Ainda era tão novo!

Cada dia, a cada momento, há pesoas que, no hospital, mergulhadas em profundo desespero, levam as mãos à cara e choram por um sofrimento inesquecível; choram, impotentes e desesperados, a morte inexorável.

Porquê o sofrimento?

Porquê a paralisia parcial ou total?

Porquê o cancro?

Porquê esse acidente que me vai impedir de voltar a andar?

Porquê morrer na primavera da vida?

Porquê?

Porquê? Quem me responde?

Quando penso nos mortos, na minha própria morte, nosofrimento dos inocentes, sinto-me envolvido pelo mistério.Posso intentar não pensar nisso, mentir aos outros ou a mim próprio.

Enquanto tiver cérebro e coração, este mistério há-de perseguir-me.

Quando chegar a minha hora e eu próprio penetrar na noite do sofrimento e da morte, que me restará?

Espero poder rezar então,gritando a Deus:


"Porque apagaste os sóis que Tú próprio acendeste?"


Sei que, com o coração, entenderei coisas que a minha

inteligência não me pode explicar.


Deus é amor.


Ele ama-me. Apoia-me.

Morrerei para viver para sempre num amor imortal.


Texto adaptado do livro "Amar", de Phil Bosmans, Ed.Perpétuo Socorro.

26 outubro 2008

AI CRISTO, ANDA CÁ REPETIR O MILAGRE DAS BODAS DE CANAAN

As Bodas de Canaan
Portugal reúne todas as condições para ser o study-case da política europeia que os nossos dirigentes, de vez em quando, sugerem que já é. Estamos muito mais endividados do que aquilo que ganhamos (é o que diz a nossa dívida externa) e não estamos a pagar as prestações do que devemos (é o que diz o défice).
Somos o parente pobre daquelas famílias ricas que às vezes é divertido, conta anedotas e diz "porreiro, pá" em festas onde se bebe muito, mas é incómodo porque não quer trabalhar. "O tio deu-lhe um bom emprego e ele continua a gastar tudo em mulheres e agora foi comprar um carro descapotável".
A continuar assim, Portugal poderá ser protagonista da resposta a uma pergunta histórica: será que a União Europeia deixará falir um país membro pelo acumular de erros de gestão, ou o "nacionalizará" como fazem aos bancos que, por ganância, incompetência e pilhança caem no vermelho? Se nos deixarem falir ficamos como o Kosovo. Um antro de oportunistas, traficantes e vigaristas tolerados na vizinhança por correcção política, a cujos filhos se dá um eurito de vez em quando com um "portem-se bem", mas onde queremos a Polícia de choque a manter as coisas longe de nós. Se nos nacionalizarem, a condição para a solvência é mandar para cá gestores profissionais que, tal como a força de paz do Kosovo, dialogam pouco.
Apenas dizem aos locais quais as ruas onde se pode transitar em sentido único, nos dois sentidos ou onde o trânsito está interdito. Depois, esses gestores vão transformar a nossa banca privada em balcões de um banco público pan-europeu de capitais mistos com sede regional na Culturgest, que reporta directamente a Berlim, Londres e Paris.
Vamos deixar de nos preocupar com coisas como o Orçamento de Estado, essa obra literária anual cujo estilo ainda não se conseguiu definir em três décadas de democracia porque hesita de ano para ano entre o absurdo e a ficção. Este ano, os dois géneros ombreiam em íntimo concubinato. Na área do absurdo, ressalta a proposta de transformar o crédito imobiliário malparado em sisudas parcelas de arrendamento que os devedores passariam a honrar com a religiosidade que já não temos. A proposta é tão mais absurda quanto diz que só é candidato a este milagre quem não tiver "mais de três meses" de incumprimento na prestação. Ou seja, o que o Orçamento de Estado para 2009 diz é o seguinte: Não pague durante três meses a prestação da casa porque o Estado socialista toma conta da sua dívida e vai poder continuar a saldá-la em suaves prestações de cerca de metade daquilo que hoje o esmaga e não o deixa dar largas à sua expressão pessoal tão bem traduzida em plasmas, playstations, telemóveis e tunning de automóveis baratos. E a casa continua sua. E ninguém diz para onde vai o resto da dívida nem quem é que a vai pagar.
Na área da ficção, o Orçamento prevê crescimentos para além de tudo o que já crescemos e diminuições de défices para aquém de tudo o que já descemos. E tudo isto no ambiente da maior crise financeira da historia da humanidade em que o dólar vale menos do que o bíblico shekel, que serviu de moeda de troca às tribos judaicas durante o êxodo. E é esta gente republicana e laica. Tanta fé no futuro não se via desde as bodas de Canaan.
Artigo escrito por Mário Crespo, publicado no Jornal de Notícias. O negrito é colocado por mim. O jornalista sabe bem o que escreve.

25 outubro 2008

MEMÓRIAS QUE NÃO SE APAGAM

Quem se recorda deste monumento?
Com a construção da Barragem do Sabugal e o enchimento da albufreira ficou tudo debaixo de água. Ora bem, tudo menos a imagem da Sra.dos Caminhos.





Se olharmos para o lado direito desta fotografia conseguimos ver o nicho da Sra. dos Caminhos, ainda antes da construção da barragem. Hoje, esta área está toda submersa pela água da albufeira.

23 outubro 2008

QUEM DEFENDE O RIO CÔA ?






Nascente do Rio Côa




Clicar nas fotos para ver melhor













Aqui nasce um rio. As fotografias são da minha autoria e recordam um passeio que fiz à Nascente do Côa com as minhas filhas. Fomos de automóvel até ao início do caminho de pedras que nos leva ao sítio onde o rio nasce. Lá chegados ficamos a olhar para a água que ali aparece e tranquilamente vai descendo o monte em direcção ao mar. Só ouviamos o vento e a água. É um local que merece a visita dos portugueses e dos amantes da natureza.




Hoje, ao dar uma espreitadela no " Cinco Quinas"dei com estas imagens e com um vídeo sobre a realização de um passeio Todo o Terreno por terras do Sabugal e que "passou por locais tão emblemáticos do concelho como a Barragem do Sabugal e a nascente do Côa" , "o ponto mais alto da viagem", "combinaram outra edição, rumo à liberdade".




Meus queridos, o passeio TT foi patrocinado por uma companhia de seguros, a Liberty e pelo Jornal Cinco Quinas. É triste que permitam estes amantes dos jipes destruirem a natureza.


Este veículo, um dos participantes do "TT Liberty Seguros/Cinco Quinas" está em cima do rio côa. Atrás da pessoa que está a fotografar pode ver-se a pedra onde alguém ( e muito bem ) escreveu "NASCENTE DO RIO CÔA".

E estes senhores, para aí uma meia dúzia de jipes, invadiram o local sem dó nem piedade. Onde está o espírito de verdadeira aventura e a verdadeira adrenalina dos amantes do TT?

17 outubro 2008

OS POBRES, AI OS POBRES!


Hoje falou-se da erradicação dos pobres no mundo. Os jornais noticiam que o nosso país foi o que mais reduziu a pobreza na Europa. No Dia Mundial para a Erradicação da Pobreza, em Portugal dizem que há 1,8 milhões de pobres e o objectivo é reduzir para 1,6 milhões.

Eu vivo num país onde um terço dos pobres trabalham e recebem um salário. A verdade, é que ganham um salário insuficiente para satisfazer todas as necessidades da família. E isto é ser pobre no nosso país. Apesar de trabalhar e ganhar dinheiro estas pessoas a meio do mês já estão a contar os dias que faltam para voltar a receber. Como o salário é baixo e muitos dos contratos de trabalho são precários, a realidade é negra e triste. O trabalho já não representa que deixaram de viver na pobreza.

O que é ser pobre em Portugal?

O Dr.Bruto da Costa dá-nos esta definição: "O pobre é alguém que não consegue satisfazer de forma regular todas as necessidades básicas, assim consideradas numa sociedade como a nossa."

A pobreza é um fenómeno social, não apenas individual. Ser pobre, é quando não tenho recursos para participar nos hábitos e costumes da sociedade onde estou inserido.

E num dia em que falamos de pobres e insuficiência de recursos, ficamos a saber pelos jornais que as três campanhas eleitorais previstas para 2009 ( europeias, legislativas e autárquicas ), o Governo orçamentou-as com um custo previsível de 70,5 milhões de euros. Para além desta despesa com as campanhas eleitorais, o Orçamento para o próximo ano prevê que se gastem 167,7 milhões de euros em estudos, projectos e pareceres encomendados a gabinetes de advogados, de engenheiros e consultores privados.

Quando em Portugal há dois milhões de portugueses que vivem em risco de pobreza, porque sobrevivem com 366 euros, esta distribuição dos dinheiros públicos faz-nos pensar nos métodos, nas prioridades e na escolha das opções tomadas pelos governantes deste país.

As necessidades são maiores do que os recursos económicos que o Governo dispôe. Mas enquanto o dinheiro continuar a ser distribuido conforme as conjunturas políticas e os interesses partidários e enquanto o trabalho não for pago a melhor preço, os pobres continuarão pobres.