24 dezembro 2015

BOAS FESTAS

 

22 dezembro 2015

CARTA ABERTA AOS MALCATENHOS



   O que se tem passado estes últimos anos em Malcata é muito mais do que umas birras ou modas associativas. É antes uma mudança de mentalidades e de formas de organizar o futuro da nossa terra. Queremos que as mudanças se façam com tranquilidade, ao nível das ideias, do conhecimento e das atitudes. O movimento associativo que existe em Malcata tem vindo a assumir-se como um dos motores dessa mudança e as associações têm conjugado tradições e modernidade para manter e fortalecer o carácter da nossa terra como uma aldeia dinâmica e uma gente que faz da união a sua força.
   Malcata tem-se destacado e tem vindo a afirmar-se como umas das aldeias mais dinâmicas no que respeita a eventos desportivos e culturais, graças à existência de um movimento associativo com ideias determinadas, mas que às vezes lhes falta estratégias bem definidas, uma direcção precisa, apesar da enorme satisfação e entusiasmo pelo trabalho realizado.
   A Associação Malcata Com Futuro, que iniciou a sua caminhada em Julho deste ano, tem definido com clareza a ideia de uma aldeia com futuro. O desenvolvimento da Malcata de que falo, está definida na missão e nos valores defendidos pela AMCF e que oportunamente apresentou aos malcatenhos, na IªAudição Pública, tendo como suporte uma séria reflexão previamente elaborada, quanto ao papel de Malcata e dos seus habitantes quanto aos caminhos a desbravar no sentido de posicionar Malcata na senda do desenvolvimento.
   Há muito trabalho por fazer e a fazer, pois na nossa terra o empreendedorismo assusta muitas pessoas. Mas Malcata possui um elevado potencial de investimento e de crescimento.
   Um dos objectivos da AMCF é o apoio aos empreendedores que desejam criar e investir e que escolham Malcata para o fazer. O aparecimento de negócios em Malcata contribuirá para o desenvolvimento económico da nossa aldeia, cria valor e emprego e a AMCF quer ajudar essas empresas a crescer e a ter êxito.
   A AMCF quer e trabalha para o desenvolvimento da nossa terra e convoca todos os parceiros locais, públicos e privados, a partilhar a mesma visão, a trabalhar e a funcionar todos juntos como facilitadores e influenciadores, utilizando todos os meios disponíveis e em rede, sempre numa base de confiança e com a convicção de que todos podemos sair vencedores.
   A AMCF sempre desejou funcionar como um agente agregador de vontades, continua a trabalhar na facilitação da criação de estruturas de apoio e está a trabalhar em projectos que irão contribuir para o desenvolvimento da nossa terra.
   A AMCF pretende e luta pela construção de uma aldeia VIVA, onde todas as instituições vivam ligados aos cidadãos.
   Queremos posicionar Malcata no topo das aldeias portuguesas focada numa visão de desenvolvimento sustentado e assente numa economia cívica e com responsabilidade social.
   Boas Festas.
                                              José Nunes Martins
                                                          1ºSecretário da AMCF

19 dezembro 2015

PLANO DE GESTÃO FLORESTAL DA ZIF DA MALCATA




   O cumprimento do PGF da ZIF da Malcata é obrigatório para todos os proprietários ou produtores florestais aderentes à ZIF.
   As operações silvícolas mínimas constantes no mesmo devem ser cumpridas por todos os proprietários ou produtores florestais da área da ZIF, incluindo os não aderentes.   O PGF é um instrumento obrigatório, estruturante e fundamental, que promove a administração dos espaços florestais de acordo com as orientações definidas no Plano Regional de Ordenamento Florestal (PROF).
Este plano permite que a Afloestrela, na qualidade de Entidade Gestora, apresente candidaturas a diversas medidas de apoio do PRODER – Programa de Desenvolvimento Rural, que de outra forma não estariam disponíveis para os produtores florestais da ZIF.


   Após a leitura deste documento aqui deixo as minhas sugestões e perguntas:













08 dezembro 2015

MALCATA NO TOPO






   E se Portugal tivesse os olhos postos em Malcata?
   O clima e as alterações climáticas andam no topo da agenda política mundial e os cidadãos começam a exigir que os países passem das palavras às acções globais e locais. Há 20 anos atrás o mundo despertou para o problema das alterações climáticas. E desde aí, os países lutam por obter resultados capazes de inventar o ciclo de aumento de emissões de gases de efeito estufa. E os sinais das suas consequências são cada vez mais impossíveis de ignorar. Grandes períodos de secas, de ondas de calor e frio, de inundações e grandes tempestades, de grandes incêndios são sentidos com maior impacto negativo na nossa saúde e no desenvolvimento económico.
   É urgente diminuir o uso de combustíveis fósseis e aumentar as fontes de energias renováveis.
   É importante e necessário o desenvolvimento de uma política de eficiência energética de maneira a diminuir o consumo de energia em Malcata. E em Malcata temos o privilégio de possuirmos uma mancha florestal já bem dimensionada, mas ainda há terrenos que podem ser alvo de florestação e outros de reflorestação. E toda a floresta é colocada ao serviço da nossa comunidade, podemos estar a aliviar o nosso país e a nossa comunidade das emissões de cO2 e ao mesmo tempo poupar dinheiro.
   Para isso é inadiável implementar bons planos de gestão florestal que ajude a economia da nossa comunidade, combata os incêndios e conseguir vender ar limpo a quem o não tem. Sim, a floresta é o nosso petróleo verde em Malcata. Chegou o tempo da acção, o tempo das mudanças determinadas e que vão ao encontro da protecção climática, do desenvolvimento sustentável e harmonioso da comunidade malcatenha.
   É portanto, chegado o momento de exigir o normal funcionamento da ZIF de Malcata e exigir às entidades publicas que sejam consequentes na determinação aplicar a nível local uma verdadeira estratégia de desenvolvimento sustentável. Malcata deve estar na primeira linha de acção no sentido de concretizar políticas e práticas de desenvolvimento sustentável e de economia cívica.
   A  AMCF ( Associação Malcata Com Futuro ) está a trabalhar no sentido de que estas ideias passem à prática. Como membro associado e dos órgãos directivos da AMCF, estou confiante que o trabalho que da AMCF dará os seus frutos muito em breve. Tenho fé que os malcatenhos viverão melhores dias.