25 setembro 2010

OFÉLIA CLUB OU ALDEAMENTO TURÍSTICO?

"Quanto ao parque de saúde de Malcata espero, sinceramente, que o mesmo se concretize. Mas também não posso deixar de dizer que, se assim não for, o aldeamento turístico para ali aprovado em plano é, considerando o seu enquadramento e por ser situação única na Beira Interior e escassa em todo o território Nacional, um activo valioso que a Câmara pode promover das mais diversas maneiras, nomeadamente e após loteamento, vendendo lotes individualmente, desde que garanta que, pelo menos metade, são para arrendamento turístico e não para segunda habitação".

 Assim falou o deputado Manuel Rito Alves na Assembleia Municipal do Sabugal, no passado dia 24 de Setembro.

24 setembro 2010

TURISMO SERRA DA ESTRELA

Imagens fantásticas de paisagens lindíssimas que nos rodeiam. Veja o vídeo e deixe-se voar nas notas musicais.


+ QUE UMA MONTANHA from Turismo Serra da Estrela on Vimeo.

23 setembro 2010

BOA MÚSICA NOS FÓIOS


   É já neste próximo sábado que a Banda da Força Aérea vai tocar nos Fóios. As oportunidades são para ser aproveitadas e ver e ouvir a Banda da FAP aqui para os nossos lados, é coisa rara e afinal, os Fóios são mesmo ao lado de Malcata. Vamos lá promover a mobilidade nos transportes e quem tenha vontade de ir, ofereça boleia ao amigo ou ao vizinho. Quem fôr, ainda poderá saborear umas feveras de porco...depois da banda tocar não é nada mau!!!

TOURADAS: PRÓS E CONTRA

As touradas em Portugal estão a ser tema de muitas conversas nos cafés, nos jornais e na internet. Neste momento decorrem duas petições na internet e cada uma defende as suas ideias. Como sabem, o concelho do Sabugal é conhecido pelas "capeias", ou touradas com forcão, como lhe queiram chamar. Também não é de estranhar que um dia destes apareça um grupo a defender a abolição das "capeias" nas aldeias do Sabugal. Eis uma amostra do estado de alma destes dois grupos, um que é contra e o outro a favor:


"Em Defesa da Festa Brava


Em Defesa da História, da Terra e dos Homens

Em Defesa dos Animais e da Natureza



Chamo-me Francisco Moita Flores. Sou escritor. Sou pai de três filhos, avô de três netos. E, neste momento da minha vida pessoal, por decisão do Povo de Santarém, sou Presidente de Câmara".

E os defensores da festa dos touros continuam:
"As culturas urbanas radicais desprezaram os campos e desprezam os seus costumes, gostos, atitudes psico-afectivas. Consideram-nos ganga, ruído, ‘pimba', decadência face ao brilho multicolorido das cidades. Como disse a grande poetisa Sophia de Mello Breyner, são pessoas sensíveis que detestam ver matar galinhas, mas adoram canja de galinha! Culturas, ou microculturas radicais que surpreendidos pela devastação que provocaram, desertificando os campos, envelhecendo-os, matando-os, matando a agricultura, as aldeias, as vilas, a vida da pastorícia, das florestas - tudo submetido à ordem e aos valores da cidade - descobriram que valia a pena lutar por adereços. Não pelos campos ou pela multiplicação dos animais como estratégia de recuperação do mundo agrícola, muito menos por respeito pelos homens que desprezam e tratam como meros servos, mas para apaziguar consciências consumistas que na irracionalidade do consumismo despedaçaram qualquer outro valor, ideia, ou respeito pelos outros, seja pelos Homens, seja pela Natureza, seja pelos Animais.


Os diferentes nichos que surgem pelo país, em defesa do lince, em defesa do lobo, em defesa da água, contra a festa brava, na maior parte dos casos apenas olha a árvore e recusa-se a ver a floresta. São, na sua maioria, contra qualquer vínculo que afirme o respeito pelos Direitos do Homem casados e em sintonia com os Direitos da Terra. Não quero, nem é possível discutir os argumentos contra a Festa Brava.

Do outro lado da barricada e contra a festa brava aqui vai:


Considerando que:




a) a ciência reconhece inquestionavelmente a maioria dos animais, incluindo cavalos e touros, como seres sencientes, capazes de sentir dor e prazer, físicos e psicológicos, bem como sentimentos de medo, angústia, stress e ansiedade;



b) as touradas gozam em Portugal de um injustificado regime de excepção legal, pois o ponto 2 do Artigo 3.º da Lei n.º 92/95 de “Protecção aos animais”, que diz que “As touradas são autorizadas nos termos regulamentados”, contradiz frontalmente o ponto 1 do Artigo 1.º da mesma lei, que declara que “São proibidas todas as violências injustificadas contra animais, considerando-se como tais os actos consistentes em, sem necessidade, se infligir a morte, o sofrimento cruel e prolongado ou graves lesões a um animal”, o que é manifestamente o caso das touradas;



c) a maioria da população portuguesa é contra a tauromaquia, conforme mostra um estudo realizado em 2007 pelo Centro de Investigação e Estudos de Sociologia do ISCTE;



d) as touradas ofendem a fé e o sentimento maioritariamente cristãos e católicos do povo português, pois a Bíblia apresenta os animais como criaturas de Deus (Génesis, 1, 24) e o Catecismo Católico declara ser “contrário à dignidade humana fazer com que os animais sofram ou morram desnecessariamente”, doutrina recentemente recordada pelos Papas João Paulo II e Bento XVI;



e) o artigo 9.º da Constituição da República Portuguesa consagra como tarefa fundamental do Estado “promover o bem-estar e a qualidade de vida do povo”, o que se contradiz pela permissão das touradas, que ofendem o sentimento maioritário da população e contribuem para a degradação moral de quem obtém prazer estético e psicológico com o sofrimento dos animais;



f) as touradas são uma das expressões de uma cultura da insensibilidade e da violência que degrada quem a pratica e promove, o que ofende o Artigo 1.º dos “Princípios fundamentais” da Constituição da República Portuguesa, que proclama Portugal como “uma República soberana, baseada na dignidade da pessoa humana”;



g) vários estudos e especialistas concordam que a prática e a aceitação da violência contra os animais predispõe para a prática e a aceitação da violência contra os homens;



h) o progressivo abandono de tradições retrógradas, contrárias a um sentido humanista de cultura como aquilo que contribui para nos tornar melhores seres humanos, é o que caracteriza a evolução mental e civilizacional das sociedades e melhor corresponde à sensibilidade contemporânea;



i) a existência de touradas no século XXI constitui um embaraço para Portugal perante a comunidade internacional, configurando a imagem de um país com pessoas e práticas bárbaras;



j) a abolição das touradas é compatível com a manutenção da sua coreografia, sem a utilização de animais, num espectáculo em que se preserve a estética tradicional e que possa converter-se na atracção turística que as touradas não são e nunca foram, pela repulsa que geram nos cidadãos estrangeiros (a evolução dos costumes ditou o mesmo em muitas culturas, convertendo antigas práticas marciais, com mortes e derramamento de sangue, em artes lúdicas, como no caso do kendo japonês e da capoeira afro-brasileira, entre muitos outros exemplos);



l) a abolição das touradas vem na linha humanista da abolição da pena de morte, em que Portugal foi pioneiro, e promoverá a imagem de Portugal em todo o mundo, sendo um contributo decisivo para o país mais ético que todos desejamos, esse “país mais livre, mais justo e mais fraterno” consagrado no “Preâmbulo” da Constituição da República Portuguesa;



Vimos por este meio solicitar que se aprove legislação no sentido de abolir completamente as touradas e todos os espectáculos com touros, sob qualquer forma, em todo o território nacional, convertendo-se as actuais praças de touros em museus e casas de cultura onde se preserve informação sobre uma prática ultrapassada e onde se promovam actividades humanitárias e de introdução dos jovens e do público em geral a um maior conhecimento e sensibilidade para com a natureza e os seres vivos, criando postos de trabalho onde se podem inserir muitas das pessoas agora dedicadas às actividades tauromáquicas".


PONTUAÇÃO:

9.763 assinaturas às 00:00 de 23 de Setembro da Petição pela abolição das touradas
10.340 assinaturas às 00:00 de 23 de Setembro da Petição Em Defesa da Festa Brava

21 setembro 2010

MALCATA EM IMAGEM

Escola Primária de Malcata ( anos 70)

Esta semana convido-vos a um regresso ao passado. Começou por estes dias o novo ano escolar. Este ano os alunos vão encontrar um ambiente escolar bastante diferente dos anos anteriores. As escolas, de modo particular, as das aldeias do interior do nosso país, estão de portas e janelas fechadas porque o Governo assim o decidiu. Como foi diferente a minha escola! Foi nesta escola primária que eu aprendi as primeiras letras do alfabeto. As primeiras semanas fartei-me de chatear a minha mãe...quando ela se distraia já eu ia a caminho de casa.

19 setembro 2010

MORREU O LINCE CARÍBU


   Há cada vez menos linces ibéricos, apesar de todos os programas que os espanhóis e portugueses têm vindo a desenvolver, a vida está mesmo difícil para estes felinos. O último a aparecer morto foi o Caríbu, com cinco anos de idade, apareceu morto no Parque Doñana, em Espanha.
   A notícia veio no Público e pode lê-la aqui:

   


16 setembro 2010

PINTAR SORTELHA


Este ano, a aldeia de Sortelha acolhe a realização da iniciativa "Pintar Sabugal". Desde 2002 que a ADES organiza este evento. Para este ano, o programa é o seguinte:
Programa: 
Dia 17 (Sabugal) - 18h00: Recepção dos Pintores Convidados; 19h00: Inauguração da Exposição dos quadros do Pintar Sabugal `09 (Museu do Sabugal); 21h30: Realização de caricaturas na Aldeia Histórica de Sortelha;
Dia 18 - 9h30: Pintura ao vivo no Largo do Corro na Aldeia Histórica; 20h00: Conclusão dos Trabalhos e exposição dos mesmos
Local: Aldeia Histórica de Sortelha
Organização: ADES - Associação de Desenvolvimento Local de Sabugal




Vão participar vários artistas e foi feito o apelo à participação dos pintores da nossa região. Eu sei que nas nossas aldeias há verdadeiros artistas do pincel e que não são conhecidos. Incentivei um desses artistas a participar no "Pintar Sabugal" e mesmo depois de lhe explicar a importância da sua participação, fiquei com a sensação de que não ia participar. Com pena minha, porque é um artista em bruto.

12 setembro 2010

MALCATA EM IMAGEM

Malcata pelos anos 70 ( Foto de Dione Portas )

A fotografia continua a ser um documento importante para guardar as memórias do mundo. Esta foto retrata a aldeia de Malcata lá pelos anos de setenta. Hoje a paisagem já está diferente e por vários motivos. Olhem para a imagem e partilhem as sensações e memórias que ela vos desperta.

09 setembro 2010

MÚSICA NO CASTELO DO SABUGAL


Amanhã, 10 de Setembro, pelas 21h30, o castelo do Sabugal vai ser pequeno para receber as pessoas sedentas de música. O guitarrista argentino Victor Villadangos, um dos mais prestigiados músicos argentinos , vai encantar quem tiver o desejo de gratuitamente o ver a tocar como ninguém. Não é a primeira vez que este artista está em Portugal, até porque os seus antepassados têm costela raiana e também a qualidade do seu trabalho tem merecido diversos convites para actuar no nosso país.
O cenário escolhido para amanhã, caso o tempo ajude, pode transformar-se num cenário magnífico e invulgar para ouvir a guitarra tocada por este fabuloso artista. Louvo a Câmara do Sabugal ao proporcionar este espectáculo à população do concelho. É uma boa iniciativa e vem reforçar o arranque do projecto da academia de música e ajudar a criar o desejo de as pessoas se interessarem mais pela música, pela cultura, pela arte. O povo, muitas vezes, come o que se lhes oferece e Victor Villadangos vai com certeza oferecer um bom momento de música e cultura.


ÚLTIMA HORA:  o concerto vai ser realizado no Auditório Municipal ( li que é por causa do mau tempo).

07 setembro 2010

PREÇOS AO ALCANCE DE TODOS


   Na hora de abastecer o automóvel, cada automobilista paga conforme a sua localização no nosso país e a existência ou não de superfícies comerciais que tenham postos de combustível. Os centros comerciais e os grandes supermercados poluem estas áreas do país. Alguns deles têm bombas de combustível onde vendem a gasolina e gasóleo muito mais barato. Os baixos preços dos combustíveis não estão acessíveis de igual forma a todos os portugueses. Aqueles que vivem nas terras do interior, como por exemplo os sabugalenses, pagam estes produtos muito mais caros. Venham esses postos para cá, estejam ou não associados a essas enormes dispensas de produtos alimentares.É justo, não?

05 setembro 2010

O projecto de reintrodução de cabras nas serras da raia já não é assim tão novidade. A cooperativa Terra Chã desde 2008 que tem um projecto muito parecido. As cabras estão a servir para preservar a gralha e ao mesmo tempo ajudam a construir um futuro mais sustentável para as populações residentes na área.


Apresentação do projecto "Conservação da gralha-do-bico-vermelho"

   Em Outubro de 2008 foi apresentado um projecto para voltar a colocar as cabras nas serras de Aires e Candeeiros. A Vodafone, a Quercus e a cooperativa Terra Chã lançaram-se num trabalho de defesa e preservação da gralha de bico vermelho. Através desta iniciativa visam, para além de protegerem a ave, garantir que se implementem algumas actividades como os apoios ao pastoreio de pastagens, através da colaboração de pastores locais; instalação de estábulos e de salas de ordenha, certificação do cabrito e dos queijos.
   Subjacente a estas actividades, está a promoção da profissão de pastor, actualmente em declínio. No projecto, vão ser vários os pastores a trabalhar e assim conseguirem cada um ter o seu direito ao descanso semanal. 
    O projecto foi concebido para cinco anos. A Vodafone, se cumprir o acordo, sai do projecto mas quer que haja uma produção autónoma suficiente que mantenha o projecto.
    Começaram por 50 cabras e poderão chegar até às 200, espalhadas por uma área de 300 hectares.
    Terra Chã tem o seu rebanho e está a incentivar novos pastores a criar os seus. E já têm ideias concretas para que o projecto não morra. O apadrinhamento de um cabrito num rebanho é uma delas. Há uns meses atrás a cooperativa procurava um pastor jovem, licenciado e foram bem sucedidos.
   Ora, como vêem, as cabras podem de facto ajudar ao desenvolvimento da nossa terra. Quando a oferta de trabalho é acompanhada de um salário compatível com essa tarefa, quando apresentam às pessoas um projecto com cabeça tronco e membros, sem obscurantismos de nenhuma espécie, com perspectivas de futuro, acreditem que muitos vão querer ser pastores.


04 setembro 2010

OS FAZEDORES DE PROJECTOS

     José Luis Pascual


Ainda continuando a falar de cabras e desenvolvimento sustentável, venho agora dar a conhecer parte  da entrevista que o Director Geral da AECT-Duero Douro, José Luis Pascual concedeu ao AmbienteOnline
( www.ambienteonline.pt) acerca do projecto  "Self Prevention" recentemente apresentado na cidade da Guarda.
   "Em quanto tempo poderemos ver resultados concretos da implementação deste modelo de auto-gestão?
   Já em 2011. E é preciso realçar que as 150 mil cabras não vão estar todas nos campos despovoados.Para a limpeza das matas vão ser colocadas no terreno o número de animais adequados, para que o projecto decorra  de forma sustentável. As restantes serão exploradas em sistema intensivo, garantindo a autonomia económica do mercado, de forma duradoura. Daí que os primeiros benefícios económicos sejam visíveis em 2011.
   A AECT-Duero-Douro estima que no projecto estarão envolvidos 5000 sócios locais. A multiplicidade de actores não poderá trazer problemas de planeamento?
    Muito pelo contrário, são estes sócios que darão dinamismo para que o Self-Prevention seja um modelo de auto-gestão eficaz. Poderão ser sócios tanto quem contribuir com capital como quem autorizar o uso de campos abandonados da sua propriedade para o pastoreio dos animais. A nossa fórmula é que cada acção adquirida corresponda a uma cabra, funcionando a empresa caprina que vai explorar as cabeças de gado como uma empresa em bolsa.
    Esta empresa vai englobar um serviço de exploração de biomassa. Já há planos concretos para o seu funcionamento?
    Ainda não temos estudado nada em concreto. Queremos que a empresa inclua essa exploração de biomassa, assim como queijarias e lojas, por exemplo. No entanto, ainda estamos numa fase de primeiros contactos com os sócios, pelo que ainda não sabemos qual a dimensão que terá esse serviço. Daí ser importante um grande participação de sócios".

    Depois da leitura desta entrevista já ficámos com mais algumas informações acerca do projecto. Muita coisa está ainda por revelar e até por pensar na forma de realizar, como é o caso da fábrica de biomassa. Ficamos a saber que para o ano, sem dizer o mês, algumas  cabras vão começar a ser colocadas nas áreas respectivas e que nos campos despovoados apenas irão as necessárias para que o projecto ande normalmente.
    O projecto foi anunciado com pompa e circunstância na cidade da Guarda. Estiveram altas individualidades presentes de ambos os governos ibéricos. A comunicação social foi convidada e fez o seu papel e escreveu e filmou o evento.
    Lembram-se do outro projecto, anunciado também aos quatro ventos, na cidade do Sabugal e que criou muitas expectativas no concelho? Reuniões da Câmara com os proprietários dos terrenos, reuniões na Junta de Freguesia, compras de terrenos a um preço baixíssimo, mais reuniões e mais pressão sobre os donos dos terrenos para que ajudem a Câmara a realizar o projecto "Ofélia Club". Agora vêm com o projecto "Self Prevention". É mais uma dessas "bombas psicológicas" ou é realmente um projecto que trará um desenvolvimento sustentável a esta região?