31 dezembro 2016

O DIA DE ANO NOVO EM MALCATA



    Quem ainda se lembra dos tiros de caçadeira ou rebentamento de bombas com que os malcatenhos matavam o Ano Velho?
    E as borgas para festejar a entrada do ANO NOVO ?
    José Rei, no seu livro "Malcata e a Serra", aviva-nos essas tradições de outros tempos:
 

O Dia de Ano Novo em Malcata

   Tenham um BOM ANO e que para o ano corra pelo mesmo cano.



  


17 dezembro 2016

CONVERSAS COM FUTURO EM MALCATA

 
Há hoje em dia várias formas e maneiras do cidadão ter uma participação cívica no seu lugar onde vive ou trabalha. A participação cívica dos malcatenhos não se esgota no dia das eleições, nas assembleias  de freguesia, nas reuniões da junta ou nas associações da terra.
   Os espaços de debate e informação são mais variados e hoje as redes sociais são cada vez mais utilizadas como mais uma forma do cidadão exercer a sua opinião, assumindo e defendendo ideias ou criticando a acção dos outros.
   Ora, sabemos que na nossa aldeia, apesar da existência de uma linha de fibra óptica e de sabermos que já há gente que consulta diariamente a internet, existe um défice de informação, participação e diálogo no que respeita a vários assuntos que são do interesse de todos.
   A iniciativa "Conversas Com Futuro", cujo primeiro encontro se realiza hoje, 17 de Dezembro, pelas 17horas na sede da Associação Malcata Com Futuro ( AMCF ), em Malcata, é mais uma das formas que esta associação pretende organizar periodicamente. Com as "Conversas Com Futuro" a AMCF pretende privilegiar a conversa amena, o diálogo descontraído e durante o tempo desse encontro, enquanto se toma uma chá ou um café e se trinca um biscoito, a conversa surja e no fim, cada um dos participantes regresse a sua casa mais enriquecido e contente por ter participado e dado a sua opinião, a sua ideia o seu parecer.
   Conversas Com Futuro pretende criar e proporcionar às pessoas um espaço de análise e reflexão, de isenção e transparência, de natureza apartidária, com um único propósito: o enriquecimento do nosso território, mobilizando os cidadãos para uma maior participação cívica, sem segundas intenções, apontando caminhos e soluções e valorizando aquilo que se faz de bom na nossa região.