27 maio 2015

MALCATA: FESTA DA CARQUEJA 2015


Carqueja na serra da Malcata
(Foto de Maria Helena Antunes)





Com ou sem flor da carqueja, a relação das pessoas com a serra é inseparável, sobretudo para aqueles e aquelas que em determinada altura das suas vidas a percorreram no pastoreio, no contrabando, na feitura do carvão, na apanha dos medronhos.

Este ano foi no dia dezassete de Maio. Como sempre, a “carqueja em flor” é a atração que justifica este evento há mais de vinte anos. Uma festa que em cada realização leva até à Serra, mais concretamente ao Espigal, algumas centenas de pessoas de Malcata e amigos a fim de viverem uma jornada de convívio com os outros e com a natureza. Com ou sem flor da carqueja, a relação das pessoas com a serra é inseparável, sobretudo para aqueles e aquelas que em determinada altura das suas vidas a percorreram no pastoreio, no contrabando, na feitura do carvão, na apanha dos medronhos. Há uma identificação de valores dos malcatanhos que os liga perpetuamente à nossa Serra da Malcata, que mais não seja pelo nome que orgulhosamente ostentam.
Esta festa surgiu a pensar em todos os que por motivo de emigração e à procura de uma vida melhor a tiveram de abandonar, e que regressados à terra natal sentiram necessidade de a revisitar, de lhe pedir desculpa pelo abandono e de a proteger.
Mais uma jornada repleta de sol, de amigos, de plantas e de flores em que se deu asas à alegria rezando, cantando, partilhando o almoço, brincando aos jogos tradicionais. Cada um à sua maneira, saboreando o dom da vida que renasce, cresce e se multiplica. Não sei se Francisco de Assis não teria trocado o Monte Subasio pela Serra da Malcata para continuar o Cântico do Sol ou Cântico das Criaturas. Dezassete de Maio, domingo da Ascensão, foi passado nas alturas em festa, convívio e partilha. Sursum corda (corações ao alto)!…
Rui Chamusco

 Texto copiado do Jornal Cinco Quinas
  Pode ler aqui: 
http://www.cincoquinas.net/?news=malcata-festa-da-carqueja-de-2015



14 maio 2015

PRECISAMOS DE ESPAÇOS VERDES EM MALCATA

 
A nossa aldeia é conhecida por muitos por causa da Serra da Malcata, uma floresta natural que um dia foi decretada "reserva natural". Na serra abundam árvores de várias espécies, mas o pinheiro é rei e senhor.
   A serra é um lugar apetecível para a realização de muitas actividades lúdicas e para descontrair. Mas para as pessoas mais idosas e as crianças, fica longe e não é lá muito atractivo ir para tão longe.
   A existência de pequenos espaços verdes no espaço urbano da nossa aldeia permitiriam que os habitantes usufruíssem de espaços mais aprazíveis para confraternizar, para conversar, jogar umas cartas, ver os netos a brincar...
   A ausência de espaços verdes é notório. Para além do pequeno espaço verde junto à sede da Junta de Freguesia, no miolo da aldeia, não conheço outro.
   Uma aldeia saudável e fresca também passa por proporcionar aos seus moradores momentos de descontracção, espaços para o lazer e promoção de boa vizinhança. Os espaços verdes, sejam eles ajardinados ou não, ajudam no desenvolvimento sustentável da nossa terra. E o desenvolvimento sustentável pode começar também por isto, ou seja, pela criação de pequenos espaços verdes. Ganha a comunidade de Malcata e cada um dos seus habitantes e torna a nossa aldeia mais tranquila e acolhedora para quem nos visita. A responsabilidade de criar mais espaços verdes em Malcata passa pela Junta de Freguesia e também pelos empresários da terra que deveriam ser os melhores e os primeiros promotores na criação de uma aldeia mais sustentável e mais desenvolvida.
   

12 maio 2015

MALCATA VIVA

   

Malcata, a nossa querida aldeia, é continuamente tema de notícia nos jornais e nas televisões. Já não é só falada por causa do lince ibérico, mas pela albufeira da barragem do Sabugal, pela existência do Parque Eólico e das pessoas que mostraram que Malcata não é um deserto, é uma aldeia onde também vivem pessoas. Que em Malcata há espírito de entre-ajuda e de comunhão, é uma realidade que só não a sente quem não vive ou não viu como o povo se une para que os eventos realizados na aldeia tenham êxito. Organizam-se caminhadas, corridas de atletismo, maratonas de bicicletas, festas da carqueja, magustos e ciclos do pão. Quando o povo é chamado a colaborar aí estão eles e elas prontas a dar a sua ajuda. Que força é esta meus amigos e amigas? Onde aprenderam esta nobre forma de viver em comunidade? Haja quem me responda!

07 maio 2015

AS OPORTUNIDADES SÃO PARA SE APROVEITAR

  Estamos na Primavera e pelos montes e vales nascem flores de todas as cores a que se junta a frescura dos lameiros e a água fresca das fontes.  Os dias agora nascem mais cedo e adormecem mais tarde. Faz de conta que temos mais horas para aproveitar o dia. Sair de casa, caminhar pelos caminhos e veredas que nos levam para lugares tranquilos e floridos. O tempo anda devagar e somos empurrados pelos cheiros e aromas campestres. Lá para a serra a natureza anda nos preparativos para a festa que está para chegar. A natureza sabe que os malcatenhos sobem à serra para celebrar e louvar o Criador pela carqueja e sua bonita flor. Talvez, sem o saberem, os malcatenhos já estão a aprender que é importante salvaguardar os recursos naturais e o ambiente.
   Malcata vai receber esta sexta-feira gente que diz ser a favor do desenvolvimento sustentável e do turismo sustentável. No programa dessa reunião lê-se que interessa a três municípios e que estarão representados no 1ºFórum de Turismo Sustentável da Malcata, a saber: Almeida, Penamacor e Sabugal.
   Turismo Sustentável na Malcata não é só para a nossa aldeia, mas para toda a região abrangida pela Serra da Malcata. Foi feliz a escolha de Malcata para a realização deste primeiro encontro. É um tema e uma oportunidade única que a nossa aldeia tem para mostrar o valor e a riqueza que a região da Malcata pode significar para o presente e o futuro do turismo alternativo, do turismo de natureza. Não somos o Algarve e nem devemos pretender sê-lo. O turismo sustentável é uma actividade que gera desenvolvimento e contribui activamente na melhoria económica das famílias, respeitando sempre a natureza, o meio ambiente, reconhece e respeita as culturas e as tradições locais ( no nosso caso, as pessoas, as culturas e tradições de Malcata ), é também reconhecido o valor que tem a água e a energia.
   Ora, à volta de Malcata, temos muita água, muita floresta e energia eólica. Temos casas florestais espalhadas pela serra, actividades de caça e pesca e muitas outras poderão ser realizadas. Há fornos, moinhos, percursos pedestres, parques de merendas, fontes e muitos caminhos. Os malcatenhos só têm a ganhar com o desenvolvimento sustentável e do turismo ecológico. Este é um dos investimentos que aliado à melhoria da nossa hospitalidade, trará para Malcata uma mudança qualitativa que beneficiará a todos e ajudará a melhorar a vida de todos nós.
   Este é o momento. Saibamos aproveitar esta oportunidade.

06 maio 2015

1ºFÓRUM DE TURISMO SUSTENTÁVEL DA MALCATA



Carta de Turismo Sustentável da Malcata?
Isso é o quê? Que interesse tem para Malcata e para os seus habitantes?
A resposta a estas perguntas vai ser ouvida na próxima sexta-feira, 8 de Maio de 2015 pelos que participarem no 1ºFórum de Turismo Sustentável da Malcata. A Serra da Malcata estende-se pelos concelhos do Sabugal e Penamacor. A serra modificou-se com a criação da Reserva Natural da Serra da Malcata, com a construção das barragens da Meimoa e do Sabugal. Mais recentemente, a instalação do parque eólico com 19 aerogeradores,  actualmente em funcionamento, mas a empresa promotora tem planos para a instalação de mais seis aerogeradores. O processo encalhou porque o Movimento Malcata Pró-Futuro  levou às autoridades competentes as preocupações do povo e desde então é o tema das conversas de café, dos jornais e das televisões.
O Movimento Malcata Pró-Futuro defende um desenvolvimento sustentável e tem a noção da responsabilidade que têm estas entidades no futuro desta região. O desenvolvimento sustentável aliado a um turismo também sustentável, são ferramentas que podem ajudar a população de Malcata a viver melhor e a aprender a conservar o seu mundo rural. O desenvolvimento sustentável e o turismo sustentável, segundo a Organização Mundial de Turismo, proporcionam novas oportunidades de desenvolvimento e vão de encontro às necessidades dessas regiões. Quer isto dizer, Malcata tem ou vai ter oportunidade para se desenvolver e oferecer ao mundo aquilo que tem de natural e humano. Vamos lá ver se é desta vez que Malcata agarra esta oportunidade. A realização do Fórum do Turismo Sustentável da Malcata no salão da Associação de Solidariedade Social ( Lar ) é um primeiro passo. Um longo caminho, começa com um primeiro passo.