26 abril 2008

O LINCE DA MALCATA










O LINCE DA MALCATA

Era rei e senhor desse território

Tive ainda o privilégio de um ver

Numa ajuda que os bombeiros da Guarda deram aos do Sabugal

Quando a Malcata estava a arder

Já passaram trinta e poucos anos

Mas ainda hoje consigo ver

Esses olhos negros que me miravam

Que até me fizeram estremecer

O animal estava preso

Não se conseguindo libertar

Num emaranhado de vegetação

Tivemos que o ajudar a soltar

Assim que se sentiu livre

Num repente desapareceu

Mais parecia um foguete

E por essa serra se perdeu

Era um gato gigante

Nunca vira nada igual

O meu companheiro dizia que era um lince

Mas eu dizia que ele estava a bater mal

Foi sem duvida uma experiência única

Que com o tempo se escondeu

Veio-me novamente à memória

Quando o centro de reprodução do lince da Malcata desapareceu

Já é hora do distrito se unir e pedir a autonomia

E lutar contra esta devastação

Tudo tem desaparecido na nossa região

Porque qualquer dia até os castelos e monumentos também vão

(esta é uma passagem verdadeira que se passou comigo

quando fui bombeiro voluntário )

Luís Pragana

15-04-2008

publicado por Luis Pragana às 11:35
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Li este texto no blog"www.luispragana.blogs.sapo.pt" .

24 abril 2008

PASSEAR NAS TERRAS DO LINCE



NO DIA 25 DE ABRIL, ESQUEÇA A CIDADE E VENHA ATÉ À SERRA DA MALCATA


Aproveite o seu tempo livre e venha participar neste passeio de bicicleta organizado pela Junta de Freguesia do Meimão.
Tem dois percursos à escolha, ambos de andamento livre e estão devidamente assinalados. O almoço vai ser ao ar livre, não vão faltar comes e bebes e se o tempo ajudar podem disfrutar da frescura e dos aromas naturais da serra da Reserva Natural da Malcata. E o melhor, é que é tudo gratuito.
Só necessitam de trazer bicicleta e claro, boa disposição e vontade de pedalar. Quanto aos cuidados a ter durante o passeio lembro que é realizado numa reserva natural, com muitos coelhos, pombos, perdizes, rolas, corvos, salamandras, cobras, lagartos, sapos, cágados, águias, melros, barbos, trutas, borboletas, oliveiras, medronheiras, urzes floridas, giestas, narcisos, torres eólicas, ribeiras, fontes.... e por acaso virem um animal parecido com um gato grande, orelhas afiadas e com um pelo lindo de morrer, parem imediatamente e toca a fotografá-lo e pensar na sorte que tiveram. É que há muitos anos que muita gente anda há procura do Lince e não o encontra na serra da Malcata. Se forem presenteados com esse momento garanto-vos que a vossa foto vai correr mundo e terão a oportunidade de dar entrevistas atrás de entrevistas aos meios de comunicação social. Se virem o lince e o fotografarem, têm o dia ganho.
Boas pedaladas e olhos de lince durante o passeio.Ok?

22 abril 2008

SERRA DA MALCATA: CONCURSO FOTOGRÁFICO "INSTANTES"


Concursos de Fotografia «Serra da Malcata – Instantes»
Faça aqui o download

O concurso está a decorrer até ao dia 15 de Setembro de 2008( 17horas).
Os participantes têm a possibilidade de realizar uma visita guiada à Reserva Natural da Serra da Malcata( para tal deverão fazer as marcações com os responsáveis pela Unidade de Educação Ambiental da SPVS).
Cada participante pode concorrer com três fotografias impressas em papel fotográfico no formato mínimo de 20X30 cm, a cores ou a preto e branco e não podem estar emolduradas.
Para identificar as fotos deve fazê-lo no verso da fotografia onde escreverão o título a que tema concorrem e o pseudónimo.
Cada foto entregue deverá ser acompanhada por um envelope fechado com os dados pessoais do participante.
Todas as fotografias terão obrigatoriamente de ser tiradas na área de localização da RNSM e do Sítio Malcata, e retratar os valores naturais e culturais destas áreas de interesse comunitário (ex:paisagens, flora, fauna, habitats, rios, ribeiras, barragens, gentes e suas actividades tradicionais).
São atribuidos prémios até ao terceiro lugar e os prémios ainda vão ser divulgados no site da SPVS.
Para participar neste concurso de fotografia a participação deverá ser formalizada através do envio da ficha de participação para a RNSM que pode ser adquirida em www.socpvs.org.
Não se esqueçam de registar, com aviso de recepção, as fotos enviadas pelo correio.
As fotografias deve ser feita para:

Concurso de Fotografia "Serra da Malcata-Instantes "
Reserva Natural da Serra da Malcata
Rua António Ribeiro Sanches,60
Apartado 38
6090-571 PENAMACOR

Nota: O objectivo deste concurso é o de promover a região, divulgar os valores naturais existentes e contribuir para o seu desenvolvimento sócio-cultural.

Outro dos objectivos é promover as capacidades artísticas dos partcicipantes e a sua ligação à reserva Natural da Serra da Malcata.




















15 abril 2008

SABUGAL VISTO PELOS JOVENS

video

Eis os seus autores:
Podem ver mais trabalhos em www.surrealhumanity.blogs.sapo.pt

OS IDOSOS DO SABUGAL E O PCHI

PROGRAMA CONFORTO HABITACIONAL PARA IDOSOS




O Programa Conforto Habitacional para Idosos(PCHI) foi iniciado em Julho de 2007 e no concelho do Sabugal foram apresentados 19 projectos.
O PCHI tem um investimento para o concelho do Sabugal no valor de 66.500 euros e com um valor máximo por obra de 3.500 euros.

O Programa está lento na sua aplicação. Os processos para a aprovação dos projectos eram demorados e muito burocratizados. O Governo, através de um despacho, veio agora aligeirar toda a papelada necessária para que o beneficiário ( de idade avançada ) tenha facilidade em ver as obras feitas na sua casa.
A Câmara Municipal do Sabugal realiza a intervenção e o Ministério da Solidariedade Social suportará os encargos com os materiais.
Até agora, seis idosos do Distrito da Guarda, já podem usufruir de melhores condições de habitabilidade das suas casas.
Com este despacho governamental que agora saiu espera-se que o projecto ande e mais idosos venham beneficiar deste programa.

Vivemos, de facto, num país em que para estradas, aeroportos, pontes, barragens e todas essas obras de cimento, dinheiro é coisa que não falta.Gasta-se dinheiro em estudos prévios, em estudos do impacto ambiental, em saber se a ponte (mais uma) vai passar o Tejo daqui para ali ou dali para aqui. Gasta-se dinheiro e tempo e o país luta com falta de condições de higiene e segurança nas habitações dos mais idosos . Milhões e milhões de euros para a grande Lisboa, já campeã europeia de auto-estradas e vai ganhar o campeonato das pontes não tarda nada. Mas para um Programa de Condições de Habitabilidade e Conforto de pessoas Idosas, espalhadas por 14 concelhos do distrito da Guarda, o governo entrega um milhão de euros. Há pessoas que não possuem nas suas casas uma sanita para aliviar a bexiga ou o intestino. O frio e a chuva entra-lhes pelos buracos da telha partida, pelas janelas de madeira velha e podre ou pela soleira da porta. E os nossos governantes, iluminados e elogiados pelos grandes senhores do tijolo, do cimento e do alcatrão decidem que o desenvolvimento de Portugal se faz com a construção de auto-estradas, aeroportos, pontes e barragens.
Valha-nos a sabedoria e a riqueza das pessoas da nossa terra. Nasceram na aldeia e vivem na aldeia que, apesar de tudo, é o lugar onde se sentem mais felizes. A qualidade de vida para eles não é medida pelo número de divisões que a sua casa tem, nem pelo número de aquecedores espalhados pela casa, muito menos pelos canais que podem ver na televisão. Claro que não dispensam a lareira e os cobertores para aquecer o corpo enquanto dormem. Mas,quando se sentem apertados da bexiga ou quando lhes vem a vontade de deitar fora aquilo que o seu estômago já transformou em lixo, não há penico que chehue ao conforto da sanita. Mas, mesmo sabendo que nesses momentos a existência do quarto de banho em casa é necessário e o serviço feito noutras condições, o dono da casa continua a sua vida e a gostar mais da aldeia do que da cidade.É por estas coisas que quando falamos em conforto e qualidade de vida para as pessoas idosas deviamos pensar nas verdadeiras necessidades que há no nosso país.Porque razão os políticos não investem mais nas condições de conforto e habitabilidade dos portugueses, em melhores condições de conforto e funcionalidade das escolas, na formação e informação das regras básicas de saúde e bem-estar?
Eu, simples cidadão, tenho a convicção de que se tudo o que eu disse atrás desse votos eleitorais e tachos para os políticos nas administrações das grandes empresas do betão, alcatrão, cimento, tijolo...todas as pessoas tinham direito a uma casa com Wc's, aquecedores, ar condicionado, energia solar ou eólica e todo o conforto dos condomínios privados das cidades.
Resta aguardar que o Programa de Conforto e Habitabilidade para os idosos do concelho do Sabugal os faça mais felizes.



Mais conforto para idosos
( Faça clique para saber as novidades do Programa CHI )








14 abril 2008

FUTSAL INTER-FREGUESIAS 2008

Aqui está o calendário de jogos da equipa da ACDM(Associação Cultural e Desportiva de Malcata)1ªfase, do 6ºTorneio de Futsal Inter-Freguesias do concelho do Sabugal(2008):




O torneio tem como objectivos essenciais promover a prática desportiva e proporcionar mais dinamismo às aldeias do concelho do Sabugal. Malcata, através da sua Associação Cultural e Desportiva, tem estado presente nestes eventos e o saldo tem sido bastante positivo.



13 abril 2008

GUARDAR A ROLHA DE CORTIÇA




A Quercus com o apoio da Unesco, está a desenvolver uma campanha de reciclagem de rolhas de cortiça. Para além de promover a recolha e reciclagem das rolhas de cortiça, já usadas, esta iniciativa pretende angariar fundos para financiar a recuperação e conservação de ecossistemas, através do programa "Criar Bosques, Conservar a Biodiversidade".
Os hipermercados "Continente" vão ter à disposição recepctáculos próprios para depositar as rolhas usadas, que serão posteriormente encaminhadas para reciclagem. O dinheiro adquirido com reaproveitamento de cortiça, a cargo da Corticeira Amorim, será usado para plantar carvalhos, azinheiras e sobreiros país.

A ideia da campanha é fantástica. Lamento é que as pessoas tenham que ir depositar as rolhas usadas às portas do hipermercado. Porque não espalhar por todo o país receptáculos para recolher as rolhas de cortiça? A rolha de cortiça é usada na maioria dos gargalos das garrafas e garrafões. Quem não faz compras nos hipermercados também devia ter a oportunidade de participar nesta campanha. Quantos mais pontos de recolha de rolhas, maior número de rolhas se irão recolher. E se aumentar o número de rolhas recicladas, aumenta-se também a cortiça reciclada, logo aumenta também o dinheiro a ser usado para plantar carvalhos, azinheiras e sobreiros. Ou estas campanhas são campanhas de marketing que os empresários utilizam para se promoverem? Que eu saiba nas aldeias como a de Malcata, rolhas de cortiça usadas deve existir uma por cada garrafa cheia de vinho e ainda haverá algumas rolhas nos pipos e pipas das adegas.
Quando a finalidade das campanhas é de facto criar bosques, quantas mais árvores plantadas mais estamos a contribuir para um melhor ambiente.

07 abril 2008

DIA NACIONAL DO MOINHO

Moinho de Malcata (entrada)





Moinho de Malcata(Rodízios)



Moinho de Malcata(Mó)

Hoje, em Portugal os moinhos têm o seu dia. Em Malcata, os moinhos movidos pelas águas do rio Côa foram completamente destruidos quando construiram a barragem. Lamento não se ter feito nada para preservar este património. A Junta de Freguesia ainda se lembrou de erguer um moinho novo e foi com a ajuda dos "moleiros" ainda vivos que a obra foi construida.
Estes moinhos, autênticas fábricas de moagem há uns anos atrás, trabalhavam graças à passagem da água que ao cair nas pás do rodízio faziam movimentar um veio ao qual estava ligada a mó de pedra. Ora o rio Côa, com tanta água que corria no seu leito, foi local priviligiado para a construção deste tipo de moinhos.
Este moinho que as fotografias mostram, para além de ser uma cópia dos antigos moinhos, foi erguido num local onde a água quase não existe. No Inverno é possível reter a água numa presa para ser encaminhada até ao moinho. No Verão, infelizmente, não há quase água e o moinho não pode mostrar o seu saber.
Contudo, foi louvável a construção deste moinho que vai ajudar a perpectuar a vida e a história de Malcata.

06 abril 2008

BARRAGEM DO SABUGAL

PLANOS DE EMERGÊNCIA


A barragem do Sabugal, desde que entrou em funcionamento, não foi notícia de televisão ou jornal por causa de situações de emergência. Ainda bem!
Todas as barragens têm um Plano de Emergência. E o Regulamento de Segurança de Barragens preconiza que se deve desenvolver um documento onde estejam definidas as regras e as recomendações relativas aos controlos de segurança.
Os Planos de emergência têm em vista uma rápida e adequada intervenção das autoridades e da população potencialmente afectada no caso de ocorrência de um acidente na barragem. É um documento que determina as obrigações hierárquicas e funcionais dos principais intervenientes, fixando as respectivas missões e coordenações dos meios materiais, recursos técnicos e humanos necessários para fazer face ao acidente e obriga também à definição de zonas de risco e de exercícios periódicos, entre outras obrigações.
Há em Portugal muitas barragens e há gente que se preocupa em manter os Planos de Emergência em estado de rápida intervenção, como demonstram as fotos a seguir. E até procuram ajuda e colaboração de "nuestros hermanos", pois, o exercício periódico de "acidentes simulados" para além de obrigatório, serve de aperfeiçoamento dos procedimentos a realizar numa situação real.








Será que as populações de Sabugal e Malcata podem confiar numa rápida e adequada intervenção da corporação dos Bombeiros Voluntários do Sabugal no caso de ocorrência de um acidente ou de uma situação de emergência com origem na albufeira da barragem do Sabugal?
Que meios técnicos, materiais e recursos humanos possuem os Bombeiros do Sabugal e outras entidades responsáveis pela Segurança das populações?
Antes que nos assaltem a casa devemos tomar providências para evitar males maiores.O nosso concelho nos meses mais quentes é refúgio para muitos e como nem todos têm dinheiro para pisar areia e molhar os pés na água do mar, mergulham nas águas calmas e cristalinas da barragem do Sabugal. Era bom que as autoridades investissem na prevenção e em meios materiais,técnicos e humanos para uma efectiva segurança daquelas pessoas que aqui vivem e também dos que nos visitam.

04 abril 2008

A DESERTIFICAÇÃO DAS ALDEIAS


A desertificação e desenraizamento acontece em todo o mundo. Não se trata de um fenómeno exclusivo apenas das aldeias portuguesas. As pessoas sentem necessidade de procurar a felicidade e muitas partem da sua terra com a esperança de um dia a encontrarem.
"A desertificação significa o movimento contínuo e crescente de abandono das terras do interior por parte da sua população e a sua deslocação massiva para outras mais litorais e, sobretudo, para as duas grandes áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto. Não é que esse êxodo aconteça porque os lugares de origem estejam a transformar-se em desertos mas, antes, porque neles, já ninguém acredita e, pior que isso, já todos terão perdido a esperança.
..."As pessoas quando abandonam uma pequena aldeia do interior que, subitamente se viu reduzida a uma centena ou menos de vizinhos, para se ir fixar na vila mais próxima, forçasamente que deixa no sítio de onde saíu uma importante carga de memória que não vai encontrar, nem construir, nem reconstruir a curto prazo, no novo lugar que escolheu.
Outras vezes, a mudança é, porém, súbita e radical e faz-se mesmo, directamente da aldeia para a metrópole. Em qualquer caso, a mudança é, fatalmente acompanhada da alteração brusca do quadro de referência de vivências e valores, produzindo, por isso, o fenómeno que podemos designar de "desenraizamento". A característica principal deste fenómeno é, essencialmente, a não identificação do (e com o) novo lugar por parte de quem chega e desde logo, por inevitável incapacidade de leitura dos mais elementares sinais da memória da comunidade de "acolhimento" que, por sua vez, também não reconhece quem chega.
Acontece, porém, que, do fenómeno da "desertificação" resulta um outro que é possivelmente mais grave e de consequências mais destrutivas que é o do "desenraizamento". Ambos decorrem da incompreensão do novo e, simultaneamente, do apagamento(mais ou menos deliberado) do que já é passado, da não ligação aos diferentes "lugares"- aquele a que já não pertence e aquele a que ainda se não pertence - e, portanto, da importância fundamental dessa ligação para a construção da identidade individual e colectiva, como elemento essencial da cidadania que se perde quando, de pessoa se passa a um simples número que, por definição, não tem "lugar".
Este artigo foi escrito pelo arquitecto Manuel Correia Fernandes e publicado no Jornal de Notícias de 4/04/2008.

Posted by Picasa

02 abril 2008

ANTIGAS HABITAÇÕES SOCIAIS DO SABUGAL TRANSFORMADAS EM PÓLO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL

A Câmara Municipal do Sabugal vai transformar 27 antigas habitações sociais num pólo de formação profissional que deverá começar a funcionar em Setembro deste ano, com dois cursos, disse ao Jornal A Guarda o presidente da autarquia, Manuel Rito.
O autarca explicou que a Câmara, em vez de optar pela venda dos edifícios, decidiu instalar naquele local um Centro de Formação Profissional, em parceria com a Associação para a Formação Tecnológica e Profissional da Beira Interior (AFTEBI), com sede na Covilhã, com quem já estabeleceu um protocolo de colaboração.
O projecto prevê que as antigas habitações sociais, que se encontram devolutas, sejam utilizadas como salas de aulas e residências de estudantes, e as garagens como oficinas.
in Jornal A GUARDA