30 abril 2010

AS FÚRIAS DO VENTO ARRASARAM MALCATA

   Este ano o mau tempo tem varrido o país de norte a sul e também as ilhas. A chuva e o vento, um pouco por todos os lados deixaram rastos de fúria. Num destes recentes fins de semana tive que ir a Malcata e alguém me relatou que a Capela de S.Domingos escapou por um triz aos ventos fortes que sopraram por lá. E meti-me a caminho ver como estavam as coisas. O cenário, mesmo depois de decorrido algum tempo, continua desolador e deu para verificar que realmente a ventania foi mesmo forte para derrubar aquelas árvores ainda jovens, mas bem constituídas e que tanto custou a crescer.
   As fotografias falam por si:
Parque de Merendas

   Raízes arrancadas da terra

 Coreto destruído...

 O coreto ficou num estado de completa destruição, sem qualquer vestígio do telhado que estava construído em madeira e coberto por telhas. Os ventos fortes partiram tudo. A Capela vá lá, foram partidas as beiras de meia dúzia de telhas e foi porque apenas roçaram os ramos da imponente árvore que caiu mesmo ali ao lado.







   Portanto, é este o actual estado em que se encontra o Parque de Merendas da Capela de S.Domingos. Há muito trabalho a realizar e este espaço necessita de uma importante reparação. Parece que a Festa da Carqueja deste ano está pensada para ser realizada neste espaço. Está situado a pouca distância da nossa aldeia, tem bons acessos, mesmo para automóveis, agora, vai-se sentir a falta deste arvoredo que o vento destruiu. Há que pensar e aproveitar esta calamidade para embelezar e reformular este parque. Para além da Capela de S.Domingos, é tempo de reunir e pensar no que se vai fazer com o coreto. Valerá a pena reconstruí-lo tal como estava? Ou deve-se remover por completo e ao "limpar" todo este recinto, que vai desde as traseiras da capela até ao cruzeiro, dotando-o de novas árvores, novas mesas, outros equipamentos? É um assunto que deve ser tratado com muito cuidado, ouvir todas as opiniões e aceitar que as ideias e as mentalidades são únicas e cada pessoa tem um cérebro único, logo pensa e age de acordo com a sua maneira de ser, estar e sentir.
   Eu, também tenho o meu cérebro pensante e tenho as minhas ideias. A realidade é o recinto está desolador e não deve continuar como está. Agora há que reunir pessoas, ideias e ao trabalho.
   Venham lá propostas, ideias ou algum arquitecto paisagista que nos ajude.
   Termino dizendo que defendo uma requalificação participada para o Parque de Merendas da Capela de São Domingos e estou certo que os malcatenses ainda lá confraternizarão bastantes vezes, contando sempre com a companhia e protecção do São Domingos.

28 abril 2010

EÓLICAS AQUECEM SORTELHA


Sortelha é notícia nas televisões:


20 abril 2010

CONFRARIA DO BUCHO RAIANO


O Sonho começa a tornar-se realidade. Dito de outra forma: a realidade desta Confraria deve-se à realização progressiva de um Sonho: Criar a Confraria do Bucho Raiano. E já aconteceu o 1ºCapítulo da Confraria do Bucho Raiano.

A Confraria do Bucho Raiano foi criada para divulgar a região do Sabugal através da sua gastronomia e em especial o bucho confeccionado no nosso concelho.

18 abril 2010

PATRIMÓNIO DE MALCATA

DIA INTERNACIONAL DOS MONUMENTOS E SÍTIOS

Em Malcata encontra este património e muito mais. As imagens falam por si mesmas. A mensagem é só uma: O património rural inserido numa paisagem cultural requere esforços de protecção e conservação. O Homem, mesmo aquele que nasce, vive e morre na aldeia, tem direito a usufruir de uma vida num meio patrimonial e ambiental harmonioso. Malcata merece.

14 abril 2010

CONTA-ME COMO FOI

   Eis o cavaleiro de Malcata que ouvia o sino da torre do relógio e sempre que a forneira aquecia o forno, a sua casa transformava-se num borralho.Lembram-se da foto da semana passada ( guitarra )? Para além de gostar de música, em particular de guitarra, o senhor Abílio Martins, adorava cavalos e toiros. Quem não se lembra do Ti Zé Marrão? Ele foi um criador, negociador e empresário que trazia os bois para as touradas raianas.

Ti Zé Marrão”, uma figura que marcou muito o concelho pelo entusiasmo que ele colocava no negócio que escolheu, era comerciante de vacas, cavalos e principalmente de bois que seriam toureadas nas touradas organizadas em várias parte do País.
Pois o Ti Zé Marrão, era irmão da minha avó paterna, era também o mais novo dos cinco filhos, nascidos todos em Malcata.
Casou no Meimão daí a vida dele estar muito ligada a esta aldeia, parecendo natural de lá.
Ele também fez parte desta proximidade que há entre Malcata/Meimão/Sabugal.
Era um tio de quem eu gostava e é com muito carinho que eu guardo a última fotografia que tirámos juntos, no dia do meu casamento, há 25 anos!" revelou-me
Natália Bispo.
E o escritor, Eugénio dos Santos Duarte, no seu recente livro "Baú das Memórias" escreve quando fala de touradas:

(…)”No século XIX e até aos anos 40 do século XX, no Soito, não se usava a palavra tourada, nem capeia. O que se utilizava era a expressão “correr o boi”. Essa manifestação popular era feita com apenas um touro e ocorria no mês de Setembro, uma vez que nesse mês havia menos trabalho no campo(…) (…) Para tal tratavam de arranjar um boi, que contratavam, normalmente ao Ti Zé Marrão, que era de Malcata, embora residente no Meimão, no concelho de Penamacor, e conseguia arranjar o touro bravo para se fazer a “tourada”


08 abril 2010

NÃO, NÃO SOMOS OS ÚNICOS SEM PACHORRA PARA A LENTIDÃO DA INTERNET NO SABUGAL


DESABAFO 1 - O atraso na publicação deste post deve-se ao facto de o sinal da Internet na Vila ser muito, muito fraco ... e já não há pachorra.)



DESABAFO 2 - Desculpem-me os responsáveis por este melhoramento que o é na verdade se a internet estivesse em condições minimamente aceitáveis. Como pode uma pessoa que até agora viva na Guarda ou outro qualquer lugar, decidir-se a viver na Vila a contar em fazer o serviço que lhe cabe através da internet se nem toda a paciência do mundo chega para lidar com ela?. Pessoas que vão passar uns dias apenas, não têm telefone, a 1ª coisa que fazem ao chegar é desligar o telemóvel por falta de rede e contam mandar noticias para os que ficaram através dum simples email , como vão fazer??.

Sei que por vezes as coisas não são fáceis de remediar assim de maneira tão linear como parece,; agora para existir um serviço desta qualidade mais vale não existir nada, pelo menos não engana ninguém.

07 abril 2010

TORRES EÓLICAS EM MALCATA


   "...muitos são os casos de descaracterização paisagística (existência
de pedreiras, instalação de parques eólicos, mau ordenamento das Áreas Protegidas,
desadequação arquitectónica), de delapidação dos recursos naturais, ao nível da floresta
(espécies endémicas) e da agricultura e ainda uma forte susceptibilidade a riscos

naturais, como os incêndios ou os deslizamentos de massa em vertente, muitas vezes em

consequência da desflorestação e posterior abandono agrícola. Ainda neste domínio, não

podemos deixar de referir as consequências inerentes aos territórios de baixa densidade,

tais como a degradação do tecido social e cultural, o encerramento de infraestruturas e

serviços básicos e, a médio prazo, o desaparecimento do carácter de cada lugar:
A utilização da paisagem como recurso de desenvolvimento social constitui uma


dimensão essencial. A identificação do potencial de cada lugar em função da identidade

e carácter da paisagem pressupõe um conhecimento profundo e integrado do território, a

partir do qual se pode valorizar, de modo sustentável, os recursos paisagísticos

existentes, principalmente em territórios onde pouco mais existe que a sua paisagem,

como é o caso da Raia Central Portuguesa. Um território “carregado” de história e

simbolismo, no qual a paisagem oferece um carácter bem vincado, e é por este recurso

que deve começar qualquer projecto de dinamismo, desenvolvimento, ou simplesmente

de refuncionalização. "

Copiado daqui:http://www.apdr.pt/congresso/2009/pdf/Premio%20Bartolomeu/148A.pdf

06 abril 2010

SORTELHA: NEVOEIRO E RELEVO ACENTUADO ESCONDEM AS EÓLICAS

A aldeia histórica de Sortelha, no concelho do Sabugal, é a mais visitada de Portugal. Quem passa por esta região pára obrigatoriamente nesta povoação. Quem entra em Sortelha, esquece o presente e enquanto caminha pelas ruas e sobe à muralha, tudo lhe parece diferente.
O concelho do Sabugal,  conhecido  pelos seus castelos, corre agora o risco de ser conhecido pela "terra das eólicas". As torres estão a surgir como uma praga de cogumelos e começo a pensar que as aldeias desta região suplicam que lhes proponham esta nova plantação, mesmo que apenas recebam uns trocados por tal permissão nos seus terrenos. O pouco que recebem ( para eles é muito ) e a despreocupação completa pela desvalorização dos terrenos, a ausência de valorização da natureza e meio ambiente e o património, facilmente embarcam sem qualquer oposição e adoptam  uma atitude de encolher os ombros e pensar "se  os outros têm...porque nós não?!"
Hoje a notícia está presente em vários meios de informação:

Petição quer afastar torres eólicas das imediações da aldeia histórica de Sortelha

http://aeiou.visao.pt/sabugal-peticao-quer-afastar-torres-eolicas-das-imediacoes-da-aldeia-historica-de-sortelha=f554287


http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?section_id=114&id_news=443973


O concelho do Sabugal, no final de 2010, estará inundado de parques eólicos. E a aldeia de Sortelha vai também ter o seu "parque". O projecto foi aprovado e a Câmara Municipal, a Junta de Freguesia de Sortelha aceitaram este projecto. Contudo, ambos os responsáveis autárquicos parece estar na disposição de repensar, a crer nas declarações que o Presidente Engº. António Robalo, fez ao "Sol" dizendo que,
«as entidades oficiais que licenciam os parques eólicos» o fazem «no devido cumprimento da legislação em vigor».
O autarca explicou que a autarquia aprovou o projecto, que contempla a instalação de 50 torres eólicas na região, mas prometeu analisar novamente o assunto.
«Qualquer situação de alerta que chegue ao conhecimento da Câmara Municipal terá uma análise cuidada tendo em conta todos os pressupostos que ela referir», assegurou.

Já o ex-presidente da Junta de Sortelha, Luís Paulo, que aprovou a instalação do parque eólico, adiantou à Lusa que está prevista a colocação de «17 ou 18 torres na área da Freguesia mas muitas delas não se vêem de Sortelha».
Apontou que aquelas que serão visíveis da aldeia histórica ficarão «a uma grande distância» e recordou que já existem equipamentos idênticos nas imediações da localidade.
«Estamos cercados delas e vêem-se todas de Sortelha», garantiu Luís Paulo, que desvalorizou a polémica em torno do assunto por considerar que a instalação do parque eólico «não irá mexer no património».

Ora, estes parques eólicos estão enquadrados no Programa de Investimentos em Infra-estruturas Prioritárias ( PIIP ) aprovado pelo Governo em 30 de Junho de 2005.
Com este programa o Governo promove e incentiva a construção de parques eólicos em Portugal e oferece generosos subsídios e um enquadramento jurídico favorável às empresas. E depois? Qual vai ser o impacto da energia eólica no ambiente? A energia eólica é mais barata? Os parques eólicos custam milhares de euros a construir, o vento é de borla, mas as torres, os aerogeradores, as linhas de transporte de energia custam dinheiro e tudo tem custos de manutenção. Quem vai pagar todos estes gastos durante 20 anos ( tempo de vida útil de cada parque )? Ou quem vai pagar a reconversão dos parques? Nós, os contribuintes portugueses.
Portanto, a energia eólica não é assim tão benéfica como a querem vender.
Dizem os entendidos que " a nível de paisagem ocorrerão impactes negativos, que serão sentidos em função da adaptabilidade e integração do projecto na paisagem. A qualidade visual e absorção visual intrínsecas de cada uma das áreas de implantação das infra-estruturas determinam a magnitude e significado dos impactes. Com efeito, os aerogeradores são visualizados de vários pontos, nomeadamente a partir de várias povoações. No entanto, trata-se de uma área onde existem diversos factores que atenuam em grande parte do ano a sua perceptibilidade ( nevoeiro ) e onde o relevo acentuado condiciona a acessibilidade e inibe claramente o potencial de observadores."
Ora tomem lá, o nevoeiro e o relevo acentuado vai afastar o nosso olhar das eólicas à volta da Aldeia Histórica de Sortelha. É desta que vamos conhecer o D.Sebastião...
Mostre a sua indignação aqui:

e siga as notícias aqui:



CONTEM-ME COMO FOI

  Contem-me quem foi este artista. Posso dar umas pistas: nasceu em Malcata, no silêncio da noite ouvia os movimentos dos ponteiros do relógio da torre e quando o forno cozia pão, sentia-se mais quentinho em casa. Foi negociador de gado e também gostava de cavalgar. Era mais conhecido na Raia do que o Bucho raiano. Quem estou a lembrar?

04 abril 2010

CRIME EM ALBERGARIA-A-VELHA

A imagem serviu de reportagem para a notícia daquele crime horrendo que ocorreu dentro de casa. Mas nas imagens da televisão eu vi também outro crime que também devia chocar os vizinhos e habitantes de Albergaria-a-Velha. O crime contra as árvores está bem visível e a imagem não engana ninguém. Haja mais respeito e de uma vez por todas, acabem com estas mutilações.

03 abril 2010

SORTELHA: PRECISA DE QUIXOTES

Malcata: Nova espécie de árvores

Os incêndios queimaram tudo no Verão passado. Coincidência do catano, ou mero acaso, este ano as espécies que querem lá plantar são de um caule ferroso e pintado, com uma luzinha vermelha no cume de cada uma das novas plantas. São uma espécie nova e os promotores e divulgadores desta nova floresta afirmam que vêm valorizar as áreas que, em concurso, ganharam para fazer a plantação.E o concelho do Sabugal até parece estar a apreciar este tipo de floresta. As árvores ferrosas estão a nascer por todos os montes e até a Reserva Natural da Serra da Malcata tem que aguentar e conviver com elas. Não estão plantadas na zona de reserva, mas basta atravessar o caminho para o outro lado e podemos ouvir e sentir os três ramos às voltas, às voltas porque o vento sopra e eles até se ajeitam aos seus sopros.
São umas árvores muito altas, podem atingir os 90 metros de altura, com três ramos que podem medir uns 40 metros de comprido e até produzem electricidade.
Venham vê-las a crescer. A espécie começou a aparecer nos terrenos do Meimão, invadiu Malcata, está a espalhar-se pelos Fóios, Vale de Espinho...e agora vão plantá-las em Sortelha. Sim, essa mesmo, a aldeia histórica mais portuguesa e que é património de todos. Será que a "Cabeça da Velha" continua agarrada ao chão? A idade é muita e há muito tempo que observa o que se vai passando na aldeia de Sortelha. Ouvi dizer que a velha segredou ao ouvido de alguns amigos de Sortelha e a notícia está a correr mundo. Eu já a li aqui:


Há uma paisagem a proteger e a preservar. A aldeia de Sortelha não é apenas as pedras e as rochas. A energia eólica não tem só vantagens. A energia eólica também traz muitas desvantagens. A alteração da envolvente paisagística da Aldeia Histórica de Sortelha também é um bem a preservar e a valorizar. Não à sua destruição! Assine e divulgue este grito.

02 abril 2010

I ENCONTRO NACIONAL XPERT ELEVEN NO SABUGAL

Xpert Eleven é um jogo on line onde se treinam equipas de futebol. É um jogo gratuito e em Portugal é praticado por mais de 11000 pessoas. Estes dias o Sabugal acolhe o I Encontro Nacional Xpert Eleven.
Foi organizado um vasto programa para estes dias. Conviver, fazer desporto, dar de comer ao corpo e jogar o Xpert Eleven, são os ingredientes para os amantes deste jogo durante os dias 2, 3 e 4 de Abril.
Os blogues "SabugalTarrento" e "Quinados" desejam com este evento conhecer os amantes deste jogo e dar-lhes a conhecer o Sabugal e os seus encantos mil.
Boa táctida e muitas vitórias.