25 agosto 2012

MALCATA: AECT-DUERO-DOURO APOIA NO PERCURSO PEDESTRE

  Percursos pedestres contribuem para desenvolver Malcata

 A aldeia de Malcata vai ser umas das freguesias do concelho do Sabugal que vão beneficiar do programa "Fronteira  Natural". Trata-se de um projecto-programa da responsabilidade do Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial Duero-Douro ( AECT-Duero/Douro) que tem como objectivo a recuperação, até ao final do ano, uma centena de espaços verdes nas localidades transfronteiriças de Portugal e Espanha. A Junta de Freguesia de Malcata apresentou a recuperação-conservação do Percurso Pedestre e que na passada sexta-feira foi aceite.
   Lembram-se das "cabras-bombeiro" e que ainda não arrancou no nosso concelho?
   Vamos lá ver o que teremos no final do ano!

http://www.asbeiras.pt/2012/08/agrupamento-europeu-apoia-recuperacao-de-espacos-naturais-no-concelho-do-sabugal/

16 agosto 2012

CAMINHADA NOCTURNA DE MALCATA

Caminheiros da noite

   




Na noite de 4 de Agosto de 2012, a Associação Cultural e Desportiva de Malcata organizou mais uma Caminhada Nocturna. O início da caminhada estava marcada para as 21 horas, na sede da associação. Fui dos primeiros a chegar e aos poucos outros também apareciam, novos, maduros e mais idosos que me deixaram a pensar nas razões que a razão desconhece.   







           O amigo Gael, cidadão francês que uns amigos de Malcata convidaram a conhecer a nossa aldeia.



         















Rui Chamusco, presidente da ACDM, dá as boas vindas aos caminheiros e o seu vice-presidente,
José Manuel atento às suas palavras.




Novos e menos novos escutam as explicações



  
   Com o tempo a passar o largo da sede da associação ia-se enchendo com pessoas com vontade de ir passar uma noite de sábado bem diferente, mas nem por isso menos divertida.
   E a caminhada começou com o grupo a dar as primeiras passadas a descer a Rua da Escola Primária, seguindo pela Rua da Fonte, descemos a Rua de Baixo e pela Rua da Capela continuámos a caminhada, passando pelas Relvas das Casas, subimos até aos Chãos da Serra e sempre a abrir até à Machoca. Aqui, um grupo de amigos da ACDM esperava-nos para nos oferecer chá quente, leite quente, chocolate quente, bebidas refrescantes, biscoitos, sandes, chocolates de cereais e muita alegria.




A caminho da Fonte Velha












Caminheiros na Rua da Fonte

    
A chegar à Torrinha


Entrar na escuridão da Rua da Capela




A entre-ajuda é de louvar









Os flashes das máquinas assustavam alguns caminheiros





















































Os caminhos estavam cheios de pó e o nariz sentia-se sufocado...


















 Na ausência do luar, esta luz forte indicava que estávamos a chegar à Machoca, ponto mais alto da caminhada e também o local escolhido pela ACDM para nos aquecer as barrigas.























































































   E depois de retemperar as forças, é chegada a altura de reiniciar a caminhada. Enquanto que a primeira parte foi sempre a subir, agora vai ser sempre a descer até ao fim.


















As fotos enganam, o que os parece gotas de água, não são mais que pequenas partículas de pó que os caminheiros faziam levantar enquanto caminhavam!






    "Anda daí Zé, estamos quase a chegar!"




















  


O cansaço começa a aparecer....








E o jipe do Joaquim António serve de "botas"para os mais cansados...



















Mariana está a fotografar algum lince?








 







E chegámos ao fim com a oferta de caldo verde quentinho...e com chouriça!



























A nossa amiga holandesa aguentou até ao fim




   E como depois de caminhar 12 quilómetros e ainda por cima de noite, deu nisto, todos com fome e cansados mas com vontade de um dia voltar a repetir a caminhada.