08 maio 2010

SABUGAL: TODOS SOMOS FUNDADORES

As relações entre a Casa do Concelho do Sabugal, sediada em Lisboa, e a Confraria do Bucho Raiano, sediada na cidade do Sabugal, parece estarem a passar por uma fase complicada. Pelo meio destas duas instituições surge também o "Jornal Cinco Quinas" que também não se tem interessado pela Confraria do Bucho.
Paulo Cruz, confrade da Confraria do Bucho Raiano,escreveu ao Jornal Cinco Quinas, de que é assinante, uma carta de protesto pela falta de informação e divulgação que este jornal tem feito à Confraria. O Jornal já publicou a resposta à carta de Paulo Cruz.
Depois de ler os dois textos publicados no Jornal Cinco Quinas, fico com a sensação de que houve e ainda há falta de comunicação e esclarecimento deste assunto.
Também tive acesso através da internet à acta da Assembleia Geral da Casa do Concelho de Sabugal, realizada no passado dia 15 de Março deste ano. No Ponto Três da Ordem de Trabalhos consta que se falou das relações da Casa do Sabugal com a Câmara Municipal do Sabugal e com outras entidades do nosso concelho, sendo a Confraria do Bucho uma das visadas.
Nesse ponto três da Acta a dada altura está escrito:
" Acerca deste assunto o Presidente da Mesa esclareceu que as relações institucionais com a Câmara do Sabugal são bastante boas, tal como acontece com a Empresa de Transportes Viúva Monteiro. Já não se poderá dizer o mesmo acerca das relações com a Confraria do Bucho que, segundo informou, a Confraria estabeleceu a sua sede na cidade do Sabugal quando havia sido constituída no seio da Casa do Concelho do Sabugal, em Lisboa.
O Dr. José Morgado de Carvalho, na qualidade de Vedor-Mor da Confraria, referiu o motivo de no ano transacto ter efectuado o jantar do Bucho na Cooperativa Militar e a constituição da sede da Confraria no Sabugal, deveu-se a uma imposição da Câmara que condicionou tal facto à atribuição de subsídios a favor da Confraria.
O Dr. José Joaquim Amaral Marques referiu que a Confraria do Bucho é pertença de toda a Raia e daí compreender bem a posição assumida pela Câmara Municipal do Sabugal.
Na mesma linha se pronunciou o Dr. Esteves Saloio que referiu ser a Câmara Municipal do Sabugal a entidade máxima do Concelho e o principal órgão aglutinador de todos os interesses dos naturais e amigos do concelho de Sabugal. Nós, os Sócios da Casa do Concelho de Sabugal, devemos mesmo ter um certo orgulho se pudermos contribuir para alguma melhoria das nossas gentes e da nossa terra. A Confraria do Bucho pode ter sido constituída, e é um facto, por Sócios da Casa do Concelho, mas todos eles são naturais, ou amigos, do Sabugal. Está na génese da constituição desta Casa o fazer algo de bom e útil para o nosso Concelho. Se a “ transferência” da sede da Confraria do Bucho para o Sabugal puder ser útil para as gentes do nosso concelho, tanto melhor, quer para a Casa quer para o Concelho. No concelho devemos preservar e não alienar aquilo que nos é típico e peculiar, como serão os casos do bucho e da capeia arraiana."
  
   Lembro que a Confraria do Bucho Raiano foi formalmente constituída, por escritura pública, no dia 6 de Maio de 2009, tendo como objectivo divulgar o bucho da zona raiana do Sabugal. E foram seis as pessoas que assinaram e que mais estavam ligadas às actividades da agremiação. São elas:
Paulo Leitão Baptista (Sabugal),
José Carlos Lages( Ruivós ),
Paulo Terras Saraiva ( Castanheira ),
António Chorão ( Aldeia da Ponte ),
José Carvalho Morgado ( Soito ),
Horácio Caramelo Pereira ( Sabugal ).
A confraria também está registada no Registo de Pessoas Colectivas. Como é de lei, a Confraria será gerida por uma Chancelaria, tendo como orgão máximo o Capítulo e como orgão fiscalizador o Conselho de Vedores. Os Estatutos também prevêem um Regulamento Interno pelo qual se definirão as usanças a que se sujeitarão os confrades nas cerimónias e outros actos oficiais que venham a realizar.

Confraria do Bucho Raiano(Grupo Fundador)
Não creio que este grupo de pessoas tivessem saído da Casa do Sabugal a correr e a registar a Confraria do Bucho Raiano, muito menos acusarem-nos de se anteciparem à Direcção da Casa do Sabugal.
Ser fundador dá algum benefício que os outros membros da confraria não tenham? Sim, foram os primeiros a trabalhar e a mostrar serviço. E não esconderam de ninguém tendo enviado convites a muitos sabugalenses para aderirem à Confraria. Se o Jornal Cinco Quinas apoia e divulga as actividades da Casa do Concelho do Sabugal devia estar informado daquilo que foi dito na Assembleia Geral e concluiriam que ninguém quer hostilizar ninguém. A Casa do Concelho do Sabugal tem importância, a Confraria do Bucho vai ter importância, o Jornal Cinco Quinas também tem sido importante para informar todos os sabugalenses. Todos, cada qual no seu lugar e todos a caminhar lado a lado construiremos um concelho mais próspero, mais solidário e mais apetecível para viver. Viva o Sabugal.

4 comentários:

Paulo disse...

Obrigado ao Malcata.net pela achega a este assunto. O artigo do Cinco Quinas é um chorrilho de mentiras, onde a única verdade que sobrevém é a da existência de uma associação chamada Confraria do Bucho Raiano, que está em plena actividade.
Não tenho feitio para me gabar publicamente daquilo que faço, mas não posso deixar que outros se apropriem, por via da mentira e da ofensa, daquilo que fiz e do qual me orgulho, como é o caso da Confraria do Bucho.
A ideia foi minha, e garanto que genuinamente, sem a colher de ninguém, a não ser do exemplo de outras iniciativas similares que proliferam pelo país. Expus a ideia ao meu amigo José Carlos Lages e ele sugeriu-me a realização de um almoço de bucho, para lançar a iniciativa. Assim fizemos, divulgando-a através do blogue Capeia Arraiana e escolhendo a Casa do Concelho do Sabugal como local do almoço.
A seguir organizamos, também os dois, o almoço em Aldeia do Bispo, com a ajuda do amigo Francisco Bárrios, que encomendou os buchos a uma senhora da terra, sem intervenção de outras pessoas. Seguiu-se outro almoço em Lisboa, também na sede da Casa, e outro no Sabugal, no salão da Junta de Freguesia, sempre com a nossa organização e superintendência, ainda que com a colaboração de alguns amigos.
Elaborei o projecto de Estatutos e marquei a escritura para um cartório notarial em Lisboa, onde me dirigi com o José Carlos Lages e mais 4 amigos, assim se fundando a Confraria. Nunca houve intuitos divisionistas e muito menos lucrativos.
O artigo do Cinco Quinas é demasiado grave e atentatório à minha dignidade, e de todos os que me acompanharam e ajudaram no lançamento desta iniciativa.
Depois de ponderar e de pedir conselho jurídico conclui que me cabe avançar com uma queixa crime por difamação e injúrias contra o director do jornal Cinco Quinas, o que farei nos próximos dias.
Paulo Leitão Batista

Paulo Saraiva disse...

Aproveito a oportunidade de dizer parcas palavras sobre este assunto. Confirmando e apoiando o comentário já publicado por vós do meu amigo Paulo Leitão. Acrescento que nesse dia em que a escritura foi feita o almoço de comemoração dos fundadores foi realizado na Casa do Concelho. Não sei a razão que levam determinadas pessoas a publicar artigos caluniando as pessoas que fizeram o que fizeram sem qualquer interesse, muito pelo contrário. De Velhos do Restelo Portugal está cheio. Quem faça algo em prol dos outros é que é difícil de encontrar e por aqui me fico

josnumar disse...

Quando li os dois artigos( a carta do leitor e a resposta do Jornal Cinco Quinas ) não acreditei nas razões apresentadas pelo jornal. E comecei a investigar o assunto, consultei artigos relacionados com a Confraria, li a Acta da Assembleia Geral da Casa do Sabugal e aí encontrei a explicação para as minhas dúvidas. De facto, estava em causa a honra, a honestidade e o bom nome de pessoas que se têm mostrado íntegras, honestas e sérias durante as suas vidas e as suas actividades profissionais. Sabia que muito tinham caminhado, com gastos do seu dinheiro e sem outros interesses que não fossem encontrar formas de participar no desenvolvimento da região onde nasceram/vivem.
Quanto à posição da Câmara em pressionar os fundadores para que a sede da Confraria do Bucho fosse no Sabugal, podemos não concordar, mas não deixa de ser uma boa escolha. A Casa do Sabugal em Lisboa também tem a sua importância e é na capital que ela deve exercer a sua função e continuar a ser um pilar da presença do Sabugal naquela região. Confraria do Bucho e Casa do Sabugal podem e devem colaborar nas boas relações institucionais, sociais e culturais de todos os sabugalenses.

Helena Teixeira disse...

Parabéns aos fundadores :)

Olá! Deixo um convite: Junte-se a nós no dia 10 de Junho, no Convento dos Frades, em Trancoso, num duplo evento: «Encontro de Bloggers e lançamento do livro "Aldeias Históricas de Portugal - Guia Turístico". Para estar presente, envie um mail para aminhaldeia@sapo.pt a solicitar o formulário de inscrição e o programa das festividades. Faça-o com antecedência, pois as inscrições são até dia 2 de Junho.

Abraço
Lena