20 maio 2009

A "GRIPE ESPANHOLA" EM PORTUGAL

Eugénio dos Santos Duarte, autor dum livro recentemente editado a que lhe deu o título de "O Baú da Memória...O Soito de Antigamente", numa das suas páginas escreveu:

«Quando a Guerra terminou surgiu uma epidemia em Portugal chamada gripe pneumónica ou “gripe espanhola”. Esta gripe matou mais de 50.000 portugueses, num curto espaço de tempo.
A nível mundial consta que este surto epidémico tenha feito perder a vida a entre 20 e 40 milhões de pessoas.
Esta gripe estava, intimamente relacionada com a Guerra, a pobreza e a falta de higiene, então existentes no nosso país.
Em Lisboa, os hospitais não conseguiam dar resposta às necessidades dos doentes. Certos edifícios tiveram que ser transformados em hospitais. Foi o que aconteceu com o Convento das Bernardas, onde foram instaladas 300 camas.
No Soito a gripe pneumónica provocou, também, várias vítimas. Um dia houve um funeral com cinco pessoas, todas vítimas dessa terrível doença.
O próprio pároco da freguesia do Soito, Padre António, faleceu vítima da gripe pneumónica, nesta época».


Hoje o mundo luta contra a "gripe mexicana". O nome desta gripe deve-se a ela ter tido início no México. Tal como nos anos da Gripe Espenhola, também esta gripe está intimamente relacionada com a pobreza, a falta de higiene das populações que habitam junto das grandes explorações criação de porcos, destacando-se uma das maiores multinacionais do ramo.
Será que a História se vai repetir em Portugal? É urgente e importante que as autoridades sanitárias nacionais visitem as várias explorações de porcos instaladas no nosso país e verificarem as condições em que estas trabalham. Prevenção e informação podem ajudar a diminuir o aparecimento de pandemias como a da gripe suína.

Sem comentários: