12 março 2011

OBRAS DE DRENAGEM DA FONTE VELHA

 A Barroca


A Junta de Freguesia de Malcata recebeu da Câmara Municipal do Sabugal 20.600,00 euros, acrescido de IVA, correspondente à obra  “Obras de Drenagem da Fonte Velha e Muro de Suporte na Rua da Fonte”. Este é um enxerto do texto da Acta nº33/2010 da Reunião Ordinária da Câmara Municipal do Sabugal, realizada já no passado dia 18 de Agosto de 2010.
Estamos em Março de 2011 e realmente a Junta de Freguesia já construiu o muro de suporte na Rua da Fonte. E também foram colocadas umas escadas em ferro para as pessoas terem acesso às suas terras,  sendo as hortas que mais terreno ocupam.
Muro de suporte


O muro manda respeito e com tanto cimento é improvável que caia. Com a construção do muro a rua ficou mais segura, mas a opção do modelo de escadas ali colocadas vieram dificultar a entrada e a saída das pessoas às suas terras. No  meu entender e no de outras pessoas da aldeia, o projecto das escadas ignorou completamente a finalidade dessas escadas. Eu tive a oportunidade de ver a dificuldade que as pessoas têm para descer até às hortas e maior dificuldade ainda quando, depois de tratarem da horta e têm necessidade de transportar alguma coisa para casa ( algumas alfaces, cebolas ou batatas e mesmo a ferramenta de trabalho) devido à excessiva inclinação das escadas, só lhes resta atirar com as coisas lá para cima e depois subir com cuidado, segurando-se ao corrimão com as mãos para subir em segurança até ao cimo do muro. E, como o muro é mais alto do que o arruamento, há que saltar do muro para a rua.


Lembro que os donos ou as pessoas que tratam destes terrenos, são já gente com alguma idade, com algumas limitações físicas e a sua elasticidade e força já não é a de pessoas jovens.
Quando as escadas foram colocadas ninguém reparou que estavam mal projectadas? Terão descido e subido os degraus para experimentar? E se deram conta do erro, porque não o corrigiram? Ouvi dizer na  aldeia, durante estes dias de Carnaval, que a Junta de Freguesia pretende “murar” a barroca da Fonte Velha. Fala-se em substituir as actuais paredes de pedra por dois muros de cimento para poder suportar uma placa, não sei se de cimento também, que servirá de caminho para as hortas.  Ou seja, a obra de reencaminhamento da água da Fonte Velha parece ser este projecto. Coloquei-me junto aos contentores do largo da fonte e olhei para a barroca. Do lado esquerdo já tem uns metros de muro de tijolo e cimento e do lado esquerdo mantém-se a parede em pedra de xisto. Mas a barroca vai muito mais para além destes 15 a 20 metros e as paredes vão baixando de altura acabando mesmo por desaparecerem por completo quando se chega a um lameiro. E é para este lameiro que sai livremente a água não utilizada na rega das hortas.


A Barroca até ao lameiro

Depois desta minha observação da barroca, ao pensar na ideia que a Junta de Freguesia tem passado para a população, prevejo grandes dificuldades para a elaboração desta obra e um custo elevado.
E porque não decidem retirar as escadas do muro já construído, pensar noutra forma de colocar outras que realmente fiquem com boa serventia? Poupam dinheiro, poupam tempo, servem melhor as pessoas e depois deste problema resolvido, contactem um bom técnico para elaborar um projecto sério, harmonioso e enquadrado com o meio rural desta zona da aldeia.
  

2 comentários:

Saude24 disse...

Livro “Saude 24 horas” – guia de saúde para todos com soluções e dicas para mais de 100 problemas de saúde, Gripe, constipações, febre, tosse, garganta inflamada, colesterol, tiróide, diarreia, obstipação, queimaduras, bebés, grávidas, contracepção, menstruação, disfunção, entre outros. Plataforma de apoio www.saude24horas.net. Deplanobooks editora.

www.saude24.net agora em livro, livro Saude 24 horas, de Carlos Edgar

Anónimo disse...

As escadas demonstram a maior insensibilidade...preocupação de mostrar obra feita!
Se o técnico apresentou aquela solução...os autarcas conhecendo os seus "fregueses" (é assim que se chama aos habitantes da Freguesia? Disseram-me isso, mas eu não sei a certeza)...só tinham que recusar e estudar uma solução que servisse.
Quando é que se pára de estragar dinheiro?
Se não se sentiam capazes de encontrar a solução, que fossem humildes e pedissem ajuda...até pessoas ligadas a Malcata, Engenheiros ou mesmo sem serem teriam encontrado o melhor de servir as hortas...o que fizeram foi preparar as pessoas para semearem menos.
Se as obras vão continuar alguém tem que estar atento...eu infelizmente não posso...peçam sugestões...