18 agosto 2015

TUDO TEM UMA PRIMEIRA VEZ

A festa acabou e a porta fechou
 

Foi com alguma espectativa que este ano fui à festa de Malcata. A novidade era a separação da festa religiosa e a festa pagã. Toda a gente sabia que os mordomos e a igreja não tinham chegado a um acordo e que este ano as coisas seriam mesmo organizadas separadamente.
   As cerimónias religiosas tiveram lugar no domingo, 9 de Agosto, com Missa Solene e depois a procissão dos santos. As cerimónias tiveram início às 10 horas com a celebração da Eucaristia celebrada pelo pároco, padre Eduardo. O grupo coral dirigido pelo Rui Chamusco, que também tocou órgão, acompanhado pela jovem violinista------,filha de Isabel Varandas. Este ano registo a ausência da banda da música a quem era atribuída a responsabilidade de animar a Missa e depois a procissão. Pela mesma razão de ausência, a procissão decorreu sem música, mas animada pelo padre Eduardo. Também saíram menos andores do que é habitual, pois foram três os santos que deram a volta ao povo, a saber: Senhora da Conceição, Sagrado Coração de Jesus e o de São Barnabé.
   Os festejos paralelos, ou seja, a festa organizada pelos mordomos da festa “Malcata 2015” decorreram um pouco por toda a aldeia, com bastante participação popular. Notei que o cartaz da divulgação da festa deste ano destacava o título “Malcata 2015” e seu respectivo programa para cada dia. E este ano foi assim: houve pessoas que participaram na festa em honra a São Barnabé e outras pessoas que escolheram apenas participar nos festejos populares dos jogos, garraiada, artesanato e eventos musicais, sem esquecer o habitual Ramo da festa. Enquanto decorreu o Ramo, ouviu-se Banda da Musica de Carvalhal Redondo, que chegou à nossa aldeia às 14 horas, para uma actuação que terminou às seis da tarde. Sempre animou o pessoal que se juntou na Praça do Rossio e o mesmo aconteceu com as danças e cantares do grupo de folclore vindo de Amarante. É claro que às noites houve animação musical e à medida que o dia da festa se ia aproximando, a qualidade dos grupos musicais também ia aumentando.
   Ora então tivemos este ano uma festa um pouco diferente, com cada uma das partes a trabalhar para que as coisas corressem bem. E para bem de todos, assim aconteceu.
   Como sabem a festa de Malcata sempre foram um acontecimento agregador para os malcatenhos e nesta altura do ano muitos naturais de Malcata, mesmo os que durante o ano não residem na terra, aproveitam essa data para regressarem e rever a família, os amigos e participar nos festejos.
   Esta festa deu trabalho a preparar e tenho a certeza que as duas partes colocaram o seu melhor e alegria para que o povo vivesse bem estes dias. Parabéns porque alcançaram esse objectivo.
   A festa acabou.
   E que opinião tem cada malcatenho acerca da festa deste ano?
   A festa de Malcata vai continuar a ser realizada com duas partes, a religiosa e a profana, ou voltamos ao modelo mais tradicional?
   Qual o verdadeiro sentido da festa de Agosto em Malcata?
   A festa chegou ao ponto em que está porque as pessoas assim o quiseram. Não julgo ninguém mas tenho a minha opinião e respeito a dos outros.
  
   

16 comentários:

Anónimo disse...

Para mim, este ano a festa de Malcata, pelo menos na parte da igreja, teve menos pessoas a participar. A igreja durante a missa da festa chegou para todos. Na procissão foi menos gente e parece que não vi os mordomos. Quanto ao resto da festa, estou para ver qual foi o resultado que conseguiram alcançar.

Anónimo disse...

As festas de Malcata este ano correram muito bem. Para o ano há mais. Viva Malcata em festa.

Anónimo disse...

Boas tardes Malcata

Anónimo disse...

A festa este ano, atendendo às circunstâncias, foi espetacular. Os malcatenhos, uniram-se e manifestaram o seu apoio e generosidade, Tanto na qualidade, como na quantidade, superaram as espetativas, A comprová-lo, está o saldo positivo de 9 mil e poucos euros, Houve muito trabalho, abnegação e espírito de sacrifício e entre-ajuda, Valeu a pena. Vivam os Malcatenhos, Malcata e as festas

Anónimo disse...

Caro anónimo das 18:05:00, onde obteve a informação que os mordomos obtiveram um saldo positivo de 9000€ ? Podia dar mais informação aqui ao pessoal?

Anónimo disse...

Está um comunicado afixado na porta do relógio. Digam uns que gostam, outros que gostam menos, todos têm direito às suas opiniões e devem ser aceites. Na verdade , atendendo às circunstâncias, correu muito bem e o pessoal divertiu-se à grande. Como em tudo, não se pode ter a pretenção, de agradar a Gregos e Troianos. Vivam os Malcatenhos e Malcata em festa

Anónimo disse...

Malcata.net o que pretende saber mais à cerca da Festa deste ano? Para onde foram os 9.000? Vou dizer-lhe o que me é dado saber, Tanto quanto se pode ler no comunicado, foram distribuidos da seguinte forma: 2800 EUROS, MORDOMOS DO ANO DE 2016, RESTANTE VAI SER APLICADO em obras, nas casas ocupadas pelos mordomos, na altura das FESTAS. espero que de alguma maneira o possa ter ilucidado.

josnumar disse...

Muito agradeço as informações que quiseram partilhar nesta página, acerca das festas de Malcata deste ano. Como sabem, não vivo em Malcata e como eu muitas outras pessoas. Mesmo vivendo longe, interesso-me por saber como vão as vidas pela aldeia e sempre que posso, divulgo a informação na página da Malcata.net. Não há por trás outros objectivos nem outras intenções, apenas e só divulgação de acontecimentos, factos e matérias que podem interessar a qualquer malcatenho, viva ele onde viver. E quem não está contente pelos resultados positivos da Festa? Penso que todos ou pelo menos, deviam ficar. O sucesso da festa é o êxito dos mordomos e a aldeia também ganha com esses resultados. É assim ou não? Claro que sim!
E é tão dificil enviar por mail essa informação que colocaram na porta da torre do relógio? Eu já pedi uma foto e aguardo pacientemente, pois se já a tivesse, não teria insistido aqui tanto.

Anónimo disse...

E porque nem toda à gente tem mail.

Germar Da Cruz disse...

Bem em primeirô queria dar os parabens aos merdomos deste ano que conseguiram com que a festa se passa-se bem visto ô que se Tinha passadô ô ano passadô com que ô senhor padre e os representantes da igreja de Malcata decidiram de fazer a festa que ao são Barnabé sem pedir au povo se concordavão com essa decisão .
Nesse dia eu estava na sacrestia e disse: se ja não avia emigrantes em Malcata para não
se poder fazer a festa como era antes, não gostaram do que eu disse e meteram-me fora da sacrestia. Agora se é para fazerem à festa como eles querem eu não participo e espéro que as pessoas que não concordão com eles que ô digão .
E espéro que em 2017 se não asseitarem fazer a festa como era dantes ,(todos os anos muda de santo e saiem todos na procissão) a festa seja separada da religeosa

Anónimo disse...

Germar, compreendo a tua ideia. Não tinham o direito de te fazerem isso, pois a Igreja é de todos. ou pelo menos devia ser!! também concordo, quando dizes que o povo devia ser auscultado sobre a festa ser ou não sempre em honra de S. Barnabé. Infelizmente, os malcatenhos, só são chamados quando é para pagar. Este ano que vem 2016, parece que a festa volta a ser como antes. Segundo dizem, volta tudo ao normal, exceto a saída dos santos, que não saiem todos. Saiem 3 e as festas continuam a ser em homenagem a S. Barnabé só e unicamente. Enfim!!!

Germar Da Cruz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Germar Da Cruz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Germar Da Cruz disse...

Então queres dîzer que todos os mordomos concordarão que a festa seja feita au são Barnabé e que têm de dar 30% dos benificios à igreja.
Eu acho que dois ô três mordomos não podem decidir Pelos outros .
Se for assim eu não participo.

Anónimo disse...

Germar, dos 30% de que falas, ainda não ouvi nada. Nem sei se lhe vão dar alguma coisa. Da festa ser em homenagem a S. Barnabé, já ouvi isso algumas vezes. Dos santos sairem, tinha ouvido dizer que os mordomos queriam mais, depois soou que só iriam sair três, como este ano.Só falando mesmo com algum dos mordomos de 2016, é que te poderão informar devidamente. Gostava de te ser mais prestável, mas é tudo o que te posso dizer

Anónimo disse...

A questão dos refugiados, está a dar muito que falar. Não sofro de racismo, de má vontade, tão pouco de xenofobia. Mas como penso que a caridade começa em casa, não deviamos primeiro tratar de integrar os nossos? Sem questionar as ideias dos pro-refugiados, considero falta de respeito para com todos os Portugueses que vivem na miséria, para todos os que procuram trabalho e não encontram, para além de um conjunto de benefícios Muitoa gente que os refugiados vão usufruir, em detrimento de todos os outros, ( segurança Social,habitação, R,S de inserção )etc. Acham tudo isto justo? Toda a gente, ou pelo menos alguns, estão assim tão cheios de boa vontade e intenções? Podiam arregaçar as mangas e começar pelos que se encontram cá, mesmo na nossa terra, Há gente que não tem trabalho, subsídios, ou qualquer outro benefício. Alguém se preocupa com eles?