25 novembro 2014

NÃO A MAIS EÓLICAS EM MALCATA

   Não sou contra as energias renováveis e amigas do ambiente, logo não sou contra os parques eólicos. O que não entendo é a localização de alguns desses parques eólicos e de algumas decisões tomadas quanto à expansão desses mesmos parques.
   As 19 torres eólicas que avistamos nos montes de Malcata parece que vão ganhar mais 6 novas espécies e desta vez ainda mais altas e mais perto das habitações da aldeia.
   Malcata, terra conhecida pela Reserva Natural da Serra da Malcata, cujo 31ºaniversário da sua criação foi recentemente lembrado a 16 de Outubro, está a passar por momentos difíceis no que respeita ao seu ambiente natural. Hoje todos sabemos que o Lince Ibérico escapou para as florestas espanholas e por Malcata restam algumas memórias que os mais velhos guardam desses outros tempos. Os habitantes de Malcata ainda não esqueceram a acusação que sobre eles foi feita quanto à destruição e descaracterização da serra provocada pelo fabrico do carvão, pelo corte de madeira, pelas caçadas ao javali, aos coelhos e outras espécies. Desde a criação da Reserva Natural muita coisa mudou e os habitantes de Malcata foram os que mais souberam  respeitar a floresta, a fauna e a flora que rodeia a aldeia. O mesmo já não podem dizer os promotores e os defensores da energia eólica. Basta olhar para o cume dos montes, olhar para a serra da Malcata, ali nos Alísios e muito perto da Machoca e rapidamente percebemos que não foram respeitadas as leis.


   Esta obra ( a expansão do Parque Eólico ) foi motivo de uma queixa apresentada à Comissão Europeia pela Sociedade Portuguesa Para o Estudo das Aves. A verdade é que as novas 6 torres eólicas que querem implantar obrigou a empresa a proceder a uma Avaliação de Impacto Ambiental.
É mais que sabido que a pressão é enorme para a aprovação deste sobreequipamento. O povo já mostrou o seu desacordo e deu a conhecer às autoridades as razões dessa posição contrária à expansão do parque eólico.
   Para além dos benefícios das rendas que estão a receber os proprietários dos terrenos onde as torres eólicas estão ( ou vão estar ) e do benefício de 2,5% que recebe a Câmara Municipal do Sabugal, que outras contrapartidas ganhou a freguesia? Que se saiba, a freguesia de Malcata não recebe nada. Mas se o que escrevo não é verdade, é importante que seja dado a conhecer os benefícios recebidos devido à instalação destas torres eólicas.
   Os efeitos negativos que esta obra provocou na paisagem de Malcata, o facto das pessoas terem que viver a ouvir aqueles ruídos que, embora digam ser uns zumbidos ou assobios, dada a sua existência durante longos períodos do dia e da noite, podem causar más interferências na saúde das pessoas que residem mais perto das torres ou que porque possuem campos de cultivo para aqueles lados e têm de por ali passar horas seguidas, dizia eu que, são questões a ser faladas e a serem estudadas. Um ambiente natural, verde, sossegado, está a ser transformado num pólo industrial barulhento que serve para aumentar os lucros da Tecneira e não traz mais valias para Malcata e para os seus habitantes.
   É por isto que eu sou contra a expansão do Parque Eólico em Malcata.

1 comentário:

Anónimo disse...

josnumar, quero informá-lo de que, se necessário for,haverá movimentação de pessoas, dispostas a enfrentar esses monstros, com manifestações e outras ações de protesto. Queremos pedir-lhe, que divulgue e apele à população de Malcata, se preciso for, que engrossem esse número, pois a união faz a força.