23 maio 2013

MALCATA, A SERRA E A CARQUEJA



   E como tem sido costume, o nosso querido Rui Chamusco escreveu para o Jornal Cinco Quinas umas palavras sobre a Festa da Carqueja. Para quem não tem acesso a este texto aqui vai:







"Mais uma vez um sucesso. É assim há 25 anos e está para durar. As pessoas de Malcata, da região e do país já não podem passar sem ela. Com efeito, é sempre uma grande honra e alegria podermos organizar e realizar este evento.


 A ACDM (Associação Cultural e Desportiva de Malcata )tudo fará para lhe dar continuidade. O espírito e o objectivo que presidiu à sua criação são cada vez mais pertinentes e atuais. Malcata e as povoações vizinhas que confinam a Serra sempre tiveram uma relação de amizade e de agradecimento para com ela. Outrora fonte de sustento (de lá vinha o carvão, lá se semeava e ceifava o pão, por lá se palmilhavam as veredas e os caminhos para se ir ao contrabando, lá viviam famílias com o seu pastoreio e os seus campos de cultivo). Com o aparecimento da emigração para França a serra foi progressivamente abandonada até que, pela década de setenta, pelo que a empresa Portucel surgiu com um projecto de plantação que ocupou uma boa parte dos seus terrenos. De seguida foi a criação da Reserva Natural da Serra da Malcata começou a ganhar corpo levando-a à sua criação em 1981, com um objectivo e uma campanha de âmbito nacional: “Salvemos o Lince e a serra da Malcata”. Adquiriu terrenos onde pode levar a efeito alguns projectos específicos, sobretudo de vigilância e de preservação da natureza. Estendeu depois a sua influência com a criação das áreas protegidas que, para bem da verdade mais não passa de limitações e obrigações aos proprietários de terrenos. O lince desapareceu por falta de habitat e as estruturas da reserva continuam bem ou mal.


Mas a Festa da Carqueja quis sempre que esta relação de amizade entre a serra e a terra continuasse e se fortificasse. Por isso o dia principal, que tem sido o segundo ou o terceiro domingo do mês de Maio, datas em que a carqueja e o resto da flora está em flor, é uma jornada vivida no meio da serra, no aprazível Espigal, onde a partilha da fé (eucaristia), do pão (almoço) e da amizade (convívio) tem sido uma constante. Esta serra é um dom de Deus. É uma pérola preciosa que não podemos desperdiçar e que devemos usufruir com respeito e amizade. Queremos viver em empatia com ela e não com antipatia. Saibam os poderes locais ou centrais que não abdicaremos desta relação, custe o que custar. A serra é nossa e nós somos da serra. Queremos respeitar a legislação feita pelos sábios e doutores mas também exigimos que nos respeitem a nós. Sempre prontos para colaborar, assim como foi no princípio, agora e sempre.
VIVA A SERRA DA MALCATA!… VIVA A FESTA DA CARQUEJA!…
OBS.: Obrigado a todos os que vieram à nossa Festa. E já agora, porque não pensar numa Festa da Carqueja mais envolvente, em que participassem activamente as povoações que, de todos os quadrantes, confinam com ela? Esta ou outras iniciativas talvez possam ser uma forma de melhor defendermos e preservarmos a Serra da Malcata. Aqui fica o repto…"
Rui Chamuscopublicado no Jornal Cinco Quinas





Sem comentários: