14 fevereiro 2017

TODOS OS PROBLEMAS TÊM SOLUÇÃO




 


    Quando a Junta de Freguesia toma uma decisão, como esta da instalação da antena, devia ter a consciência das outras decisões que podiam ser tomadas em alternativa?
   A actuação da Junta de Freguesia, neste caso concreto das antenas, ao não reconhecer que errou e lançar as culpas para os cidadãos que se opuseram e à AMCF, a quem alguns malcatenhos pediram ajuda, só vem provar a falta de capacidade de diálogo com as pessoas que, sendo malcatenhos como os outros que não se manifestam, não sabem e nada querem saber, que pensam que como vivem fora da aldeia, não têm que se meter nas coisas que vão acontecendo em Malcata, pois quem vive dia a dia na terra é que tem voto na matéria e não é nada com os que lá não estão a viver, deixa-me preocupado e triste. Que fique bem claro que eu, José N. Martins, os malcatenhos que se mostraram contra esta decisão da Junta de Freguesia e a AMCF, em particular os membros da direcção, bem como os malcatenhos que através das redes sociais se manifestaram contrários à instalação da antena no jardim da Junta de Freguesia, em momento algum faltámos ao respeito à instituição pública e política e às pessoas que o povo escolheu para desempenharem o cargo de autarcas.
   Os factos que agora são conhecidos leva-nos a concluir que a Junta de Freguesia não soube interpretar devidamente a proposta apresentada pela Câmara Municipal do Sabugal, convencendo-se que todos iam aceitar e aplaudir a instalação da antena, até porque se tratava de uma necessidade e de uma reivindicação há muito manifestada por todas as pessoas.
   Mais uma vez, o poder local não mostrou conhecimento do normal funcionamento da Junta de Freguesia e ignorou o direito que todo o cidadão tem também de participar na vida da comunidade. Aos autarcas de Malcata, no meu entender, faltou-lhes a humildade e a consciência de que, ultrapassaram os limites das suas competências políticas e com o seu comportamento e negligência,
Malcata e os malcatenhos continuam a ter que resolver a instalação da antena de telecomunicações e um entendimento com a NOS por causa dos milhares de euros já enterrados.
   Termino com o desejo que a comunidade dos malcatenhos desenvolva ainda mais a sua capacidade e interesse por saber, analisar e criticar, pois dessa forma saberão defender os seus direitos e interesses pessoais e da nossa aldeia; tenham em conta o mérito, a competência, a transparência, a vontade e capacidade em representar e defender os interesses dos malcatenhos, de todos os malcatenhos, em fazer parcerias com todas as instituições da aldeia e concelho, promovendo a união e o desenvolvimento na base de um convívio saudável, de compreensão democrática e benefício de todos. Na hora de votar votem pelo mérito e pela competência e pela capacidade de sentir e viver em democracia seja de cor amarela, verde, laranja ou vermelho.
Somos Malcata!







3 comentários:

Anónimo disse...

Estive presente na reunião e verifiquei que o maior interveniente foi o Sr. Jose Escada, veriquei tambem que mesmo com todo o tempo, não teve capacidade de convencer as pessoas presentes, a não ser aquelas que já tinham a ideia definida de ser contra.
Vi também que as pessoas que estavam a favor não chamaram de burros e de ignorantes aos malcatanhos, como ví de uma pessoa, que se quiser posso dar-lhe o nome a mesma pessoa pertencente a AMCF.
É também meu entendimento que foi dado a oportunidade a todos os presentes de se expressarem, porque não vi qualquer pessoa a reclamar por não ter falado.
Não será altura de alguem começar a tirar ilações.
Pense nisso e talvez chegue a alguma conclusão.

josnumar disse...

Eu não estive presente na reunião, com muita pena minha. Tinha preparado uma intervenção e como não fui, publiquei-a aqui neste espaço que administro. Como deve saber, no meu entender, a Junta de Freguesia errou duas vezes. Este assunto da antena já vem do mês de Outubro e não foi oficialmente comunicado à Assembleia de Freguesia, nem à população. Até prova em contrário, o povo só soube quando a obra já estava a decorrer.
Dado que houve pessoas que interpelaram a Junta de Freguesia sobre o que se estava a passar, quando se soube que era para instalar uma antena de telecomunicações, a contestação subiu de tom. E aí eu, com as minhas pesquisas, perguntas, pedidos de fotos, pessoas a solicitar apoio, eu e a AMCF fomos eco das preocupações daqueles que não tinham voz.
Como a situação se ia complicando cada vez mais, a Junta decidiu convocar o povo para uma reunião de esclarecimento e para discutir o assunto que interessava a todos.
Aqui vem o segunda escorregadela da Junta, ao permitir constituir a mesa sem critérios de imparcialidade por parte de alguns elementos, que, segundo me foi dito, condicionaram a condução da reunião. Ora, esta posição por parte da JF, de esclarecer, de escutar e discutir, devia ter sido feito antes das obras começarem e após aprovação é que se iniciariam as ditas. Mais grave, a JF ao convocar esta reunião, deixou a NOS em maus lençóis, pois já foram gastos muitos euros e não estão em maré de deitar dinheiro ao lixo. Daí estarem advogados, técnicos e a Junta de Freguesia sintonizados em continuar a obra. Pensando no que temos, concluo que a JF e a NOS concordaram com o local,era o mais vantajoso para ambas as partes, ou seja, ganha a NOS porque tem menos despesas ( poupa nas ligações eléctricas, no raio de acção das emissões e no número de estruturas ; ganha a Junta de Freguesia porque o terreno, embora propriedade da Câmara Municipal,as rendas serão pagas pela NOS à Junta de Freguesia.
Por último, gostava que fosse divulgada ao público a acta desta reunião. Assim, mais pessoas ficavam mais informadas do que realmente se passou e todos ficarmos esclarecidos sobre quem apoiou a ideia da Junta de Freguesia, de quem apresentou outras alternativas e saber os motivos que levaram a um adiamento da decisão final.
como bem escreveu, amigo anónimo, comece a tirar também as suas ilações e pense no assunto e tenho a certeza que chegará a alguma conclusão.
Mande sempre!

Anónimo disse...

Realmente pode ter havido alguma falha da junta, mas verifique na reunião havida que 80% ou mais estavam todos a favor da colocação da antena, alguns afirmando que já devia era estar colocada e a funcionar.
Entendo que possa haver pessoas a discordar, e terão as suas razões, mas por enquanto e em democracia ainda ganham as maiorias.
Verifiquei tambem que a decisão final foi de compromisso, de todos os presentes, para ser colocada a antena e apos vistoria da ANACOM o processo ser revisto, com carta escrita escrita da NÓS, a aceitar as condições, comprometendo a NÓS a continuar os trabalhos sómente depois de a referida carta estar em poder da Junta.
Embora possa haver algumas pessoas, não muitas, a discordar do que se passou na reunião julgo que a mesma decorreu em democracia e os resultados devem ser aceites por todos.